02/05/16

Pais e filhos convertidos uns aos outros (3/12)

Pais convertidos se arrependem dos erros cometidos com seus filhos
Gostaria de dar alguns exemplos de pais que são convertidos a seus filhos, e para isso fazendo uma analogia com a nossa conversão a Jesus.
A primeira coisa que aconteceu conosco é que houve arrependimento em nosso coração. Arrependimento é a mudança de mente. Antes víamos as coisas de um jeito; agora vemos de outro. Assim, pais convertidos se arrependem dos erros cometidos com seus filhos.
Pais convertidos aos seus filhos são pais arrependidos daquilo que fizeram de errado com seus filhos, são pais que fizeram um acerto, um conserto com seus filhos; são pais que mudaram suas mentes: viram o filho de um jeito antes, e agora os veem de forma diferente, da maneira correta.
Às vezes, temos a visão totalmente distorcida com relação aos nossos filhos. Por exemplo, como pai, você pode achar que seu filho pertence a você, que ele é propriedade sua e, assim, pode fazer dele o que quiser, determinar toda a vida dele, porque você o tem como sua propriedade. Mas é necessário se arrepender desse pensamento, mudar a sua mente, porque seus filhos são herança do Senhor, eles pertencem ao Senhor. Você foi dado para cuidar dessa herança do Senhor: não para você, mas para o Senhor.
Pai que é convertido ao filho tem arrependimento daquilo que é errado. Quem nunca cometeu algum errou? Eu fui pai aos 22 anos, muito novo, inexperiente e achava que já era maduro, mas de fato não era; errei muito com meus filhos. Todos que são pais provavelmente já erraram com seus filhos. Precisamos buscar não errar, mas se erramos, devemos nos arrepender, pois esse é um coração convertido. Você já pediu perdão a seu filho(a) quando você errou com ele(a)? Às vezes, você pensa: “não vou pedir perdão porque vou perder minha autoridade se eu mostrar que estou errado”. Não! Você tem que ir lá e pedir perdão.
“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados...” (Tg 4:16)
Às vezes, alguns dos pais estão sofrendo muitos problemas, estão doentes, enfermos espiritualmente, enfermos psicologicamente porque não confessam suas culpas aos seus filhos. Culpas, digo por aquilo que fizeram de errado com os filhos e não reconhecem. Você quer que o seu filho peça perdão para você, mas você nunca pede perdão para o seu filho?
Mas se você é um pai ou mãe convertido ao seu filho(a), você vai ficar de peito aberto, vai abrir seu coração e falar: “Filho, eu errei nisso, nisso e nisso. Eu quero seu perdão”. Isso vai trazer uma comunhão maravilhosa entre vocês porque é algo da vontade de Deus!
Portanto, arrependimento e confissão de seus erros a seu filho(a). Esse é o caminho de benção e paz e o início de uma caminhada em direção a um coração convertido ao seu filho(a). 

01/05/16

Pais e filhos convertidos uns aos outros: (2/12)

“Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”. (Malaquias 4:5-6)
Eu gostaria de chamar a sua atenção para esta expressão: Converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais. Estes são os dois últimos versos do Antigo Testamento. Queria que você gravasse essa expressão. Talvez você já tenha lido, já conheça muito esses versos, mas gostaria que você, junto comigo, refletisse nesta verdade: “o coração dos pais convertido aos seus filhos e o coração dos filhos convertido aos seus pais”.
Todos aqui estão contemplados nesses versos, pois todos são filhos. Se não são pais, são filhos pelo menos. Ainda que nem todos aqui tenham seus pais vivos, essa é uma verdade que permanece. Mesmo que os nossos pais já tenham passado desta vida, ainda assim, nós temos a necessidade de ter o coração convertido a eles, mesmo eles não estando mais presentes conosco.
Eu me lembro de uma senhora que conhecemos há muitos anos. O grande problema dela era uma questão que ela tinha com sua mãe. Por mais de trinta anos, ela tinha ódio por sua mãe e não conseguia resolver esse problema. A sua mãe já tinha partido desta vida, mas aquele ódio permaneceu em seu coração. Era alguém que precisava ter o seu coração convertido à sua mãe.
Essa é uma palavra para hoje, para agora. Todo aquele que é convertido a Jesus Cristo imediatamente precisa também ter o seu coração convertido a seus pais; e se são pais, precisam ter o coração convertido aos seus filhos também. Você pode ser convertido a Jesus, mas pode ser que você ainda não tenha convertido o seu coração a seus filhos; pode ser que você, filho, não tenha ainda convertido o seu coração a seus pais.
O Senhor fechou, vamos dizer assim, o Antigo Testamento, a antiga aliança, falando dessa palavra e desta promessa: que viria o profeta Elias, e converteria o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais. E nós sabemos que este profeta Elias prometido veio na figura de João Batista, como nos é dito no evangelho de Lucas:
“E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado”. (Lc 1:17)
Percebam que no Novo Testamento foi ampliado o que foi dito no Antigo Testamento. João Batista, que veio no espírito e no poder de Elias, veio preparar o caminho do Senhor. A forma de preparar caminho ao Senhor é que os pais fossem convertidos aos seus filhos e converter os desobedientes à prudência dos justos, com o objetivo de habilitar para o Senhor um povo preparado.
Nós estamos às portas da volta de Jesus, o rei está voltando. Mas é preciso se preparar para o Senhor, o povo do Senhor precisa se preparar à Ele. Dentro desse nosso “preparar para o Senhor” está relacionado à conversão dos corações: dos pais aos seus filhos e dos filhos a seus pais.
Quem já viveu um pouco, olhando para trás, uns trinta ou cinquenta anos, a situação era outra. E quanto mais se aproxima do tempo da volta do nosso Senhor, mais a iniquidade e maldade crescerão e mais difíceis serão os tempos! E você, que é um filho de Deus, está iludido achando que os dias estão melhores? Você que tem a Palavra do Senhor para se orientar, está sossegado, não está se preparando porque acha que tudo vai bem?
Este é um assunto muito grave, as famílias estão sendo destroçadas, os filhos – estou falando aqui das famílias cristãs, não estou falando das famílias que não conhecem a Deus – estão indo para caminhos totalmente difíceis, longe do Senhor. Os problemas são grandes, terríveis, muitas dores, muitas lágrimas, muitos sofrimentos. Mas o caminho de benção e paz seria que, hoje, você, que é pai e mãe, convertesse o seu coração aos seus filhos; e você, filho, que já se converteu a Jesus Cristo, converta seu coração aos seus pais. Isso trará benção, paz, harmonia, grandes coisas de Deus para a vida de vocês.
O tempo que nós vivemos é um tempo urgente. Mas, ainda que não fosse um tempo urgente, ainda que não fossem os últimos dias, ainda que não fossem esses dias trabalhosos que Paulo, o apóstolo, fala, você deveria ser alguém que atendesse a esse chamado de Deus. Pai e mãe: se você é convertido ao Senhor Jesus, agora converta-se a seu filho. Filho: se você se converteu ao Senhor Jesus, agora converta-se a seus pais.
Essa expressão até parece estranha. Eu já havia lido a Bíblia toda, mas só depois de muitos anos de ter me convertido ao Senhor fui prestar atenção e refletir nesses versos da Palavra. Imediatamente, tive que fazer um acerto diante de Deus e diante de meus pais, porque eu não estava correto, não estava bem, não estava com meu coração convertido a eles. É algo que não combina; você ser convertido a Jesus e não ser convertido aos seus filhos ou a seus pais.
O que é conversão aos pais ou aos filhos? O que é ser convertido? Faça uma analogia simples com a sua conversão a Jesus: o que era você antes de se converter a Jesus e o que é você agora convertido a Ele? Qual era o seu relacionamento antes com Jesus e agora convertido a Ele?
Antes você não clamava ao Senhor, mas agora você se converteu ao amor do Senhor; agora está em seu coração. Antes você não amava o Senhor, antes você não cria no Senhor, não ouvia Sua palavra, não dava atenção para Ele, não queria ouvi-lo, não queria ter comunhão com Ele. Talvez você até ridicularizasse e blasfemasse Jesus, mas agora você converteu seu coração pelo poder do Espírito de Deus, e você deseja ter comunhão com o Senhor, você se arrepende daquilo que fez de errado com Ele, você chega diante do Senhor com um relacionamento em que você tem aquela intimidade com Ele, você ama o seu Senhor. Agora você elogia o seu Senhor, fala de Seus feitos, você o honra porque é convertido a Ele. Assim, também, do mesmo modo, se você é convertido ao seu filho ou se você é convertido aos seus pais, você passará por essas questões.
Nos próximos posts irei enumerar algumas características de pais convertidos aos seus filhos e mais a frente, aquilo que também caracteriza filhos convertidos aos seus pais.
Até!

30/04/16

Pais e filhos convertidos uns aos outros: (1/12)

Neste mês de maio, chamado por muitos de o mês da família, gostaria de postar algumas reflexões sobre este tema.
Estamos vivendo dias muito difíceis, conforme Paulo, o apóstolo profetizou:
“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.” (2 Timóteo 3:1-4)
Naturamente que esse estado de coisas, afeta tremendamente as famílias e trás muitos desafios. E por isso, o assunto que de imediato quero compartilhar com você e que ultimamente tem ocupado o meu coração é: pais e filhos convertidos uns aos outros.
Para nos “aquecer”, deixo com você uma video que viralizou-se na internet – provavelmente você já o assistiu, mas convido-o a vê-lo novamente. Ele ilustra um dos aspectos que mais à frente trataremos, de pais que precisam se converter aos seus filhos. Espero que você seja levado a refletir sobre os seus relacionamentos em família e abra sua mente e coração para este assunto tão urgente, “pais e filhos convertidos uns aos outros”.
video

“Se você pudesse jantar com qualquer pessoa, viva ou morta, quem você escolheria?” Essa pergunta foi feita para pais e filhos, separadamente. As respostas das crianças nos emocionam!

Este vídeo é parte de uma campanha da marca de alimentos Masterfoods que incentiva as famílias a valorizarem os jantares juntos.

Fonte: http://www.paisefilhos.com.br/familia/com-quem-voce-gostaria-de-jantar-criancas-surpreendem-seus-pais/


29/03/16

Uma vida bem sucedida: tendo uma atitude positiva diante da vida (9/9)

O último ponto a que quero me ater, o qual é importante para todos, mas muito mais para aqueles que tem uma tendência melancólica e deprimida, de ver as coisas sempre negativamente, é: busque ter uma atitude positiva diante da vida. Isto aqui não é autoajuda, mas a realidade do Evangelho: “Buscai as coisas lá do alto... pensai nas coisas lá do alto” (Cl 3:1-2).

Porque você sabe que você é alguém que tem uma missão dada por Deus, que você está aqui nesta geração não por acaso, mas porque Deus assim o quis e tudo que aconteça com você, Deus está no controle, tenha uma atitude positiva diante da vida. Uma pessoa que tem uma atitude positiva diante da vida terá mais facilidade para enfrentar os obstáculos e as adversidades à sua frente. Busque ver o lado bom das coisas. Tenha consciência de que Deus está conosco, que somos mais que vencedores em Cristo, que o Senhor é aquele que nos conduz em vitória e que podemos avançar.

Isso é verdade até mesmo para aqueles que não conhecem o Senhor. Se eles tiverem uma atitude positiva, serão beneficiados. Eu mesmo tenho alguns amigos que me são como inspiração, pois, mesmo não sendo cristãos, têm uma atitude positiva diante da vida. Eles me servem como alerta para que eu mude meu modo de ver a vida e a forma com que devo enfrentar os obstáculos pelos quais tenho que passar.

Talvez poderíamos acrescentar outros pontos que são também importantes, mas estes já são suficientes para neles nos exercitarmos.

Que o Senhor nos ajude a praticar todos esses nove princípios postados aqui e anteriormente e que nossa vida seja bem sucedida do ponto de vista Dele. Amém!

No Seu amor,

28/03/16

Uma vida bem sucedida: fazendo tudo conforme as nossas forças (8/9)

Outro ponto que, principalmente nos últimos anos da minha vida, tenho procurado praticar é: fazer tudo conforme as minhas forças, como diz Eclesiastes 9:10: “tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças (...)”. No reino de Deus, espiritualmente falando, cada um de nós recebeu pelo menos um talento e temos que usá-lo. Os talentos não querem dizer apenas os dons espirituais. Mesmo as nossas capacidades naturais para fazer as coisas são um talento de Deus. Por exemplo, se você é um bom administrador, isto é dádiva de Deus, e você precisa ser fiel em exercitar este talento, deve fazê-lo bem, conforme as suas forças. Às vezes, ficamos paralisados e dividimos o que é secular e espiritual, mas não existe isso. Devemos adorar a Deus na oração, como devemos também fazer do nosso trabalho uma adoração a Deus, pois, como diz a Palavra, “quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co 10:31). Então, o que vier às mãos para fazer, faça!

Nos finais de ano, temos o hábito de escrever muitas metas e decisões, e nos comprometemos a cumpri-las, e precisamos mesmo cumpri-las. Mas ao invés de cumpri-las entramos em paralisia. Se algo é justo, honesto e bom, e precisa ser feito, façamos conforme nossas forças. Não fique apenas planejando, desejando fazer, sem colocar em prática.

Você precisa fazer conforme sua força. Se você consegue orar apenas um minuto por dia, então que seja, mas faça isso. Não precisamos necessariamente imitar célebres irmãos ou ser como os monges do passado, os quais oravam quase que o dia inteiro, mas façamos conforme as nossas forças, de acordo com as condições e limitações que tivermos, de acordo com a medida da nossa fé. O que tivermos para fazer, que façamos logo e não deixemos para amanhã. Na Palavra de Deus há uma ênfase no hoje: “hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hb 4:7); “eis agora, o dia da salvação” (2Co 6:2); “não se ponha o sol sobre a vossa ira”. É hoje! Depois que o sol se pôr dará lugar a outro dia. Não se pode deixar para amanhã.

Muitos de nós são como a tribo de Rubem, lembrada no cântico de Débora. Eles tomaram grandes decisões, fizeram grandes resoluções de coração, mas não colocaram nada em prática. No caso ficaram cuidando do seu gado e não foram à guerra em auxílio aos seus irmãos. Ficaram planejando, planejando, mas não agiram. (cf. Jz 5:15-16)

De modo simples, pelo poder do Senhor Jesus, saiamos da paralisia! Jesus disse ao paralítico: “levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa” (Mc 2:11). Por exemplo, se você deseja fazer alguma visita a um irmão, que Deus colocou em seu coração, vá! Deus poderá usá-lo para abençoar esta pessoa. Se Jesus mandou falar dele para alguém, fale! Ainda que seja algo simples, nada que vá além da sua capacidade. Aquilo que você tem de fazer, faça-o de acordo com suas forças. Não coma o pão da preguiça. Se tem algo para fazer, faça! Não fique procrastinando. Isso fará um bem enorme à sua vida. E você verá como Deus lhe fará prosperar no Seu caminho, no Seu serviço, e ter uma vida ordenada no dia-a-dia.

No Seu amor,

27/03/16

Jesus, nossa Páscoa

Páscoa!

Hoje é o dia em que muitos a celebram.

E cada qual da sua forma, pois tal celebração é função da consciência e da maneira que cada um entende o que seja a Páscoa.

Para muitos é apenas um dia de troca de chocolates e os cumprimentos mútuos de "feliz páscoa!", destituído de qualquer significado.

Convido você a se juntar a mim e celebrá-la com a consciência que o evangelho traz: a afirmação de que Jesus Cristo, o Filho de Deus, é a nossa Páscoa. Com toda alegria e adoração podemos relembrar que Jesus por amor a mim e a você, mesmo sendo Deus, se fez homem e morreu a nossa morte para vivermos a Sua vida.

Ele foi morto - em sacrifício expiatório, levando os nossos pecados sobre si e foi sepultado. Os que ficaram, seus amigos e mesmo sua mãe, imaginaram ser o fim de toda esperança que haviam recebido dele. Naquela sexta-feira foi somente o transpassar dos corações, a tristeza, as trevas, a desesperança, o temor...

Mas, ao terceiro dia, no primeiro dia da semana, num domingo, encontraram vazio o sepulcro onde Jesus havia sido sepultado! Ele havia ressuscitado! A morte não pode retê-lo. Aleluia!

Ressurgiu a esperança, nasceu a fé e a alegria no coração de todos que o amavam!

Ele, o Deus conosco, estava vivo, ressurreto. Ele venceu a morte e vive eternamente!

Ele é a nossa Páscoa!

Num tempo de tanta incredulidade, de tanta maldade... de tantas noticias ruins... que Ele, sopre esperança, fé e amor no coração de cada um de nós!

Que a sua “sexta-feira” de desesperança, de dor, de trevas, de não saber para onde ir, de enfrentamento dos conflitos interiores, de morte, se transforme num “domingo” de esperança, de ânimo, de coragem, de fé, de amor, de alegria, de ressurreição!

Ele vive!

Deixo com você uma canção no desejo de que o seu coração seja aquecido e você possa adorar Aquele que vive eternamente.


No amor de Jesus, que é a nossa Páscoa,

BP

26/03/16

Uma vida bem sucedida: meditando na Palavra (7/9)

Quando estamos lendo e meditando na Palavra, será pela maneira com que nos aproximamos dela que teremos uma resposta que nos ajudará ou não, que poderá ou não ser uma bênção. Nossa aproximação das Escrituras nunca deve ser apenas mecânica e intelectual. Aqueles religiosos da época de Jesus eram conhecedores da letra, mas não o receberam!

Os escribas e sacerdotes sabiam exatamente onde o Cristo deveria nascer. Ao serem indagados, até citaram a profecia, mas estes não foram ao encontro do Senhor. E os sábios que foram guiados através da estrela a buscarem a Jesus, ao saberem que era em Belém, foram ao Senhor e O adoraram. Por isso, aproximem-se da Palavra para receberem vida, leiam-na com o seu entendimento, com os olhos do seu coração. Quando fizerem isso, a Palavra ganhará pleno sentido em suas vidas diárias.

A Palavra do Senhor traz luz para o nosso caminho em todos os aspectos. Você quer saber como ser bem sucedido em seu trabalho? Leia o livro de Provérbios. Garanto-lhe que será muito mais proveitoso e útil do que livros de administração que existem por aí. Você quer saber como se relacionar com as pessoas? Leia Provérbios. Lembro-me que, com meus dezoito anos, quando comecei a trabalhar, comecei a ter algumas dificuldades no relacionamento com algumas pessoas. Então, passei a meditar em Provérbios, e comecei a aplicar na minha vida o que aprendia e assim obtive vitória nesta situação.

Se lermos a Bíblia na perspectiva de receber vida de Deus, será uma revolução. Se lermos a Bíblia apenas para conhecê-la, seremos apenas críticos e não vivificados. Porém, se a lermos buscando vida, encontrá-la-emos. Temos que a ler sempre sob a ótica da pessoa de Jesus Cristo. Se lemos algo que não entendemos, procuremos ver como Jesus procedia com relação àquele tema enquanto estava vivendo na Terra. Lemos em Efésios 1:18: “tendo iluminados os olhos do vosso entendimento (…)”. Deus nos dá a iluminação. Por exemplo, pode ser que enquanto você esteja lendo Provérbios, um insight surja. Você gostaria de saber se algo era da vontade de Deus e eis que a resposta está à sua frente.

Leia a Bíblia, mas com o entendimento que vem do coração, através da luz de Deus. Vocês ficarão impressionados em como Deus, pelo seu Espírito, vai iluminar o seu entendimento e trará graça, e a Palavra de Deus tornar-se-á viva para você.

No Seu amor,