30/03/2008

O reino dos céus é tomado por esforço - Parte 3

“...o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”. (Mateus 11:12)

Caríssimos:

Concluindo nossas reflexões sobre "o reino dos céus é tomado por esforço" eu gostaria de dar alguns exemplos da Palavra do Senhor, apenas como indicações, de algumas coisas em que podemos nos esforçar. Entretanto, cada um pode ir diante do Senhor, e descobrir em que área ou em quais situações você percebe que Deus quer que você se esforce, que você faça violência a si mesmo e se apodere da realidade do reino dos céus. Eu darei alguns exemplos que estão na Palavra de Deus usando a versão Almeida, revista e atualizada. São alguns exemplos de pessoas que se esforçaram. Em alguns casos é utilizada a mesma palavra no grego para o verbo "esforçar" de Mateus 11:12.

Os três primeiros exemplos estão relacionados à vida. Os outros quatro ao nosso serviço ao Senhor.


1) Esforçar-se por ter sempre uma consciência pura diante de Deus e dos homens

O primeiro exemplo vem de Paulo. Ele diz assim:

“Por isso, também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens”. (At 24:16)

O apóstolo Paulo está dizendo que ele se esforçava sempre para ter uma consciência pura diante de Deus, mas não só diante de Deus, também diante dos homens.

Podemos achar que isso é muito simples. Entretanto, não é tão simples cumprir isso. Requer violência em nós mesmos. Requer um esforço de nossa parte, não no braço da nossa carne como já mencionei, mas na força e no poder do Espírito de Deus em nós, como Paulo nos lembrou que é, “segundo a Sua eficácia que opera em mim”. E é interessante que a Palavra nos diz que Paulo se esforçava para ter essa consciência pura diante não só diante de Deus, mas diante dos homens. E vejam, não está falando diante dos irmãos, mas diante dos homens, diante de todas as pessoas.

Há muitos problemas de relacionamentos que experimentamos com as pessoas e assim não temos uma consciência pura diante delas. Quantas vezes nós as ofendemos e não tratamos aquela ofensa, e a nossa consciência fica manchada, a nossa relação com aquela pessoa rompe-se. Quantas vezes temos visto a comunhão entre os irmãos em Cristo ser rompida porque as suas consciências estão manchadas. Quantas vezes falamos alguma coisa que ofendeu a alguém, cristão ou não cristão, mas não temos uma consciência pura para com aquela pessoa nem nos esforçamos para isso, e o nosso testemunho para com aquela pessoa, se for incrédula, fica muito comprometido.

Eu me lembro de um fato muito interessante que me ocorreu: Muitos anos atrás, na cidade onde eu moro, os irmãos de várias denominações, realizaram um trabalho ao ar livre e convidaram alguns pastores e líderes das assembléias da cidade para cooperarem naquele evento e coube a mim orar para o início do mesmo. E assim fiz. Subi no carro de som (um daqueles caminhões enormes com um pesado equipamento de som) que estava perto da praia, e publicamente orei. Mas depois que terminou o evento encontrei ali com uma pessoa conhecida, um rapaz, e ele me disse: “Que bom que eu encontrei você aqui!” Eu respondi, “Que bom ver você aqui também!” E logo perguntei: “Você também é um cristão”? Ele respondeu: “Sou, sou um cristão”. E foi-se embora. Passou-se um tempo e um dia ele apareceu na minha sala de trabalho (ele trabalhava na mesma área que eu). Chegou todo sem jeito, e me disse: “Gostaria de falar uma coisa com você: naquele dia você me perguntou se eu era um cristão, e eu disse que sim, mas eu queria dizer pra você que eu não sou, eu não falei a verdade com você”. Ele veio arrependido, sem graça, emocionalmente tocado. Ele estava falando e as suas palavras eram um pouco trêmulas. Nunca esquecerei essa cena! Um incrédulo que não tem o Senhor se esforçou para ter uma consciência pura para comigo. Muito mais nós, que temos o Senhor, deveríamos nos esforçar.

A nossa consciência, às vezes, não é pura para com o nosso cônjuge, nossos filhos ou nossos irmãos em Cristo. Falhamos muitas vezes. Paulo está dizendo: “... eu me esforço”. Ele tinha uma atitude de cooperação com Deus. Podemos dar graças ao Senhor porque diz a Palavra que o sangue de Jesus limpa as nossas consciências. Diante de Deus basta nos arrependermos e confessarmos. O sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. Que coisa gloriosa! Estarmos limpos, com a consciência limpa e pura diante de Deus, mas também precisamos estar com ela pura diante dos homens. Isso é parte do reino dos céus e para nos apropriarmos deste reino requer violência a nós mesmos. Esse rapaz que citei não era cristão. E ele teve que negar a si mesmo. Foi difícil para ele, ele estava trêmulo quando falava comigo. Mas ele sentiu-se na obrigação de ser verdadeiro mesmo sem ter o Senhor!

Esforcemo-nos por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens!

2) Esforçar-se para ser agradável ao Senhor

Em 2 Coríntios 5: 9. Paulo mais uma vez vai nos dizer em que se esforçar: “É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis”.

Há aquele pensamento de que não precisamos fazer nada. Alguns vão dizer: “Não tente agradar a Deus, você não vai conseguir, não tente”. Sim, em sua carne jamais será possível! Mas no poder de Deus é possível. No Espírito de Deus, que fortalece o nosso homem interior, é possível. Baseado nesta força que vem de Deus é que Paulo está falando: “É por isso que me esforço para ser agradável ao Senhor”. A nossa prioridade tem que ser agradar ao Senhor.

Davi declarou ao Senhor: “Bem sei, meu Deus, que tu provas os corações e que da sinceridade te agradas” (1 Cron 29:17). Da sinceridade! Oh, quantas falhas tem em nós, quantos fracassos, quantas coisas negativas. Entretanto, Deus se agrada da sinceridade. Deus se agrada do coração sincero. Podemos confessar ao Senhor: “Senhor, eu não estou bem. Eu estou com este problema, eu estou nessa situação horrível, o meu temperamento é terrível Senhor. Mas eu quero te agradar. Socorra-me”. O Senhor que se agrada da sinceridade do nosso coração, certamente virá em nosso socorro.

Podemos fracassar em muitos aspectos da nossa vida, mas devemos ser sinceros para com o Senhor, sem usar os “joguinhos de palavras”. Às vezes usamos estes joguinhos de palavras espirituais com os irmãos, damos a aparência de sermos tão espirituais. As pessoas podem até achar que somos espirituais, de que a aparência corresponde à nossa realidade. Mas com o Senhor isso não vale, Ele vê o coração! Devemos ir diante do Senhor e dizer “Senhor, eu não estou bem. Eu quero agradar a ti, me ajude. Senhor eu acabei de desagradar a ti, de ferir o teu Espírito Santo, entristeci o teu Espírito, mas Senhor eu não quero isto, eu quero agradar a ti”. O Senhor se agrada da sinceridade e se agirmos com sinceridade diante dEle, abriremos caminho para a benção de Deus em nossas vidas.

3) Esforçar-se para entrar no descanso do Senhor

Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência”. (Heb 4: 11)

“Esforcemo-nos, pois por entrar naquele descanso”.
Para mim esta é uma palavra extremamente paradoxal. Parece contraditória. Você precisa entrar no descanso e, no entanto, está dizendo para você se esforçar para entrar nele. Que coisa estranha a primeira vista. Mas é a Palavra do Senhor que está nos dizendo para todos nós, todos os filhos de Deus, sem exceção, “esforçarmo-nos para entrarmos no descanso que Deus tem preparado”.

Alguns estudiosos do grego nos dizem que esta palavra, “esforçar” significa “concentrar toda a nossa energia para atingir um alvo”. Todo o nosso esforço, não da carne, mas de acordo com o poder de Deus que opera eficientemente em nós. E que descanso é este? O escritor de Hebreus está falando que este descanso é “aquela boa terra”, e usa como ilustração a saída do povo de Deus do Egito, e a sua entrada na terra prometida. Sabemos que esta boa terra é figura de Cristo e das Suas riquezas insondáveis. E quando nós entramos nesta terra, encontramos descanso para as nossas almas. Queridos, isto não é só para a glória, é para agora, para o momento presente.

Quantas contendas dentro de nós mesmos! Não estou falando em contender com os irmãos, com as pessoas do mundo, com os filhos ou com o cônjuge, mas com você mesmo! Olhe para dentro de você: quantas contendas podem estar acontecendo aí. Há uma “guerra civil” dentro de você! Você quer fazer a vontade de Deus, mas algo dentro de você se opõe para não fazer. Há uma disputa interna! Entretanto, a palavra do Senhor nos diz para nos esforçarmos, concentrar todas as nossas energias para atingir aquele alvo, do descanso que é Cristo a nossa boa terra – a vida de Cristo em nós, de maneira prática.

Como isso é possível? No livro de Hebreus, capítulo 4, está dizendo que todo aquele povo, no Antigo Testamento, o povo de Deus, não pôde entrar. E por quê? Porque mesmo ouvindo a Palavra de Deus, essa Palavra não foi aproveitada porque não foi acompanhada com a fé. Não puderam entrar por causa da incredulidade!

Queridos, precisamos nos esforçar, colocar toda a nossa energia para atingir esse alvo de Deus para nós. Conhecemos bem a história do povo de Deus no Antigo Testamanto. Eu nasci num lar cristão e conheço essa história desde que era menino. Um povo numeroso que saiu do Egito para ir tomar posse de uma terra que o Senhor havia dado a ele. De seiscentos mil homens capazes de sair à guerra, apenas duas pessoas entraram!. E por que elas entraram? Se você buscar na Palavra, você vai encontrar a razão. Está dito que Josué e Calebe entraram porque eles perseveraram em seguir ao Senhor. Eles perseveraram! Esforçaram-se! Eles colocaram todas as suas energias para atingir aquele alvo de Deus que era a boa terra. Não se deixaram levar pelos outros dez espias que deram um mau relatório a respeito daquela terra. Pelo contrário, eles colocaram todas as suas energias e ainda, de acordo com a Palavra de Deus, tentaram animar os seus irmãos, embora sem sucesso. Mas, eles entraram porque perseveraram em seguir o Senhor! Aleluia!

Será que nós não vamos experimentar as riquezas de Cristo agora? Precisamos receber muitas vitórias! Vitórias sobre o pecado, sobre a carne, sobre o mundo e sobre Satanás. Tudo nos foi dado em Cristo e muitas vezes fico perplexo com o meu próprio viver. Tendo recebido tudo como herança de Deus me vejo vivendo uma forma miserável espiritualmente. Isso está errado! Precisamos perseverar, nos esforçar, para entrarmos naquela riqueza que é nossa em Cristo.

Como aconteceu com Josué? O Senhor disse para Josué que “Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés” (Josué 1:3). As riquezas de Cristo são nossas, mas precisamos tomar posse delas! Paulo mesmo diz que ele prosseguia “para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus” (Fil 3:12). Ele queria conquistar, ele queria possuir, ele queria segurar aquilo que ele recebeu em Cristo. Assim também nós devemos fazer! A melhor ilustração que me vem ao coração com relação a nos esforçarmos para entrar no descanso do Senhor, a lutarmos para isso, é aquela citação de Jacó, quando ele estava atravessando o váu de Jaboque. Ele começou a lutar com um homem, e lutou a noite inteira, quando percebeu algo muito importante a tempo: Ele percebeu que estava lutando não com uma pessoa comum, mas com Aquele que era o abençoador. E qual foi a palavra dele para o Senhor? “Não te deixarei ir se não me abençoares” (Gn 32:26). Que glória!

Quando não estamos bem, devemos ir ao Senhor e lutarmos com Deus, nos esforçarmos para entrar no Seu descanso. Mas espera lá, vamos com calma. Nós temos ouvido muito por ai, nas rádios e nas televisões em alguns programas, onde as pessoas estão ordenando as coisas para Deus e estão nos dizendo: “você tem que determinar que Deus faça tal coisa”. Não! De modo algum! Devemos lutar com Deus sim, mas o Espírito de Deus foi tão maravilhoso que nos deu uma indicação de como foi que Jacó lutou com Deus. O Espírito Santo registrou essa luta de Jacó no profeta Oséias. E em Oséias está escrito que ele lutou com Deus e prevaleceu. Mas como foi que ele prevaleceu? Dizem as Escrituras: “Chorou e rogou mercê” (Os 12:4). Essa foi a luta dele e deve ser a nossa luta também diante de Deus. Vamos lutar com o Senhor. Vamos perseverar para entrar no descanso de Deus, naquilo que Ele tem para nós. O Senhor tem coisas tão grandes que nós não experimentamos ainda. A Palavra de Deus nos diz das insondáveis riquezas de Deus em Cristo!


4) Esforçar-se para fazer o bem

“Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quando depender de vós, tende paz com todos os homens”. (Rm 12:17)

“Esforçai-vos por fazer o bem”! Esse é o imperativo da Palavra de Deus.

Às vezes consideramos que essa é uma palavra muito simples, simples demais, pois é obvio que devemos fazer o bem. Paulo está dizendo para nos esforçarmos por fazer o bem diante de todos os homens, não só diante dos irmãos, diante daqueles que amamos. Mas diante de todos os homens. No livro de Gálatas também está escrito: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo” (o que vai acontecer?) “ceifaremos, se não desfalecermos” (Gal 6:9). Deve existir um esforço para não desfalecermos. Quantos de nós muitas vezes estão sem força, paramos na caminhada, paramos na carreira. O apóstolo Paulo insta com Timóteo para combata o bom combate da fé. Ele mesmo diz: “Combati o bom combate”, (e o que mais?) “completei a carreira, e guardei a fé” (2 Tim 4:7). E ele até diz que, como conseqüência disso estava reservada para ele a coroa. Ou seja, o reino tinha sido tomado por Paulo, ele se apoderou dele! Ele tinha a convicção pelo Espírito de Santo que Deus tinha reservado a coroa para ele. E por quê? Porque ele tinha feito violência a si mesmo. Veja o que ele descreve para os irmãos em Corinto. Veja como ele se esforçou para se apoderar do reino de Deus. Leia com atenção o que ele escreveu:

“Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos como ministros de Deus: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, na pureza, no saber, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, quer ofensivas, quer defensivas; por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama, como enganadores e sendo verdadeiros; como desconhecidos e, entretanto, bem conhecidos; como se estivéssemos morrendo e, contudo, eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo”. (2 Cor 6:4-9)

Fazei o bem! Às vezes podemos nos cansar. Por exemplo, até mesmo dentro da nossa casa. Conheço alguns pais que têm lutado com os filhos, ajudando-os sem medida. Entretanto os filhos parecem não se importar com aquilo que seus pais fazem. E então, depois de muito labor, esses pais tomam uma atitude de parar. Cansam-se. Eles dizem: “Ah, assim não dá! Cansei! Não dá mais!” Mas, precisamente num momento como esse é que é necessário lutar com Deus e pedir ao Espírito de Deus que fortaleça o seu homem interior para você continuar fazendo o bem.

A Palavra do Senhor para nós é: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos” (Gal 6:9). “Esforçai-vos”!

5) Esforçar-se para preservar a unidade do Espírito

Esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Ef 4:3)

Este é outro exemplo, uma outra indicação de Deus em sua Palavra no que nós devemos nos esforçar: preservar a unidade do Espírito, a unidade que já nos foi dada em Cristo Jesus.

Devemos nos esforçar nesse assunto da unidade. Não há valor em falarmos que somos um com todos os irmãos apenas de palavras. Não! Mas como João, o apóstolo, diz, deve ser de fato, de verdade. Precisamos nos esforçar, e há muitas questões práticas envolvidas aqui que vão nos mostrar se estamos nos esforçando para guardar aquela unidade que já nos foi dada. Quanto a unidade da fé ainda vamos alcançá-la, mas a unidade do Espírito já nos foi outorgada (cf. Ef 4:3,13). Entretanto, há uma responsabilidade que nos foi dada: devemos nos esforçar para guardá-la. E ainda, não é de qualquer forma, mas diligentemente, como nos diz a Palavra.

Cremos que todos os filhos de Deus, todos aqueles que nasceram de novo formam o corpo de Cristo. Desejamos ser um com todos eles. E por quê Paulo diz que devemos preservar essa unidade do Espírito? Ele vai dar a razão logo a seguir. Veja o que ele diz nos versículos seqüentes:

“Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos”. (Ef 4:4-6)

Não deve haver nada além dessas coisas como condição para estarmos unidos aos irmãos, para sermos um no corpo de Cristo. Infelizmente o que tem prevalecido durante a história da igreja e mesmo nos nossos dias, é divisões e mais divisões entre os filhos de Deus. Às vezes por qualquer motivo alguns deixam de congregar. E ainda se justificam dizendo: “Não, não me reúno mais não! Tal irmão falou algumas coisas e eu não concordo! Eu não tenho o mesmo entendimento que ele! Vou reunir em outro lugar!” Outro diz: “Ah aquele irmão! Não suporto o temperamento daquele irmão! Vou me congregar em outro lugar!” E por aí seguem. Mas meus irmãos, deve haver um esforço, você tem que ser violento, não com os irmãos, mas com você mesmo, tomar sua cruz e negar a si mesmo, seguir ao Senhor e preservar a unidade do Espírito. Esta é nossa responsabilidade.

Admira-me que coisas tão pequenas e sem sentido atrapalham e embaraçam o nosso coração. E a razão disso é porque não tomamos a nossa cruz. Não queremos fazer violência a nós mesmos para nos apropriarmos do reino dos céus. E por isso, quebramos, na vida prática, a unidade do Espírito. Irmãos, a Palavra do Senhor nos indica que deve existir um esforço da nossa parte para que a unidade do Espírito possa ser mantida.

“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor”. (Ef 4:1-2)

Que o Senhor nos ajude nisto.

6) Esforçar-se nas orações em favor dos santos

“Saúda-vos Epafras, que é dentre vós, servo de Cristo Jesus, o qual se esforça sobremaneira, continuamente, por vós nas orações, para que vos conserveis perfeitos e plenamente convictos em toda a vontade de Deus”. (Col 4:12)

Que exemplo maravilhoso para todos nós o que ficou registrado a respeito de Epafras. “O qual se esforça”! E não é de qualquer forma! – “Sobremaneira”! Isso não é suficiente, esta tradução colocou de uma maneira enfática: “Continuamente por vós”!

Precisamos nos esforçar na oração, e temos aqui Epafras como um exemplo de quem se esforçava. A palavra no original grego que foi traduzida aqui por “se esforça” tem um sentido muito mais forte. O seu sentido no original é “agonizar”. Ele se agonizava na oração em favor dos irmãos para que eles pudessem ser conservados perfeitos e plenamente convictos em toda vontade de Deus! Que Deus levante no nosso meio, nas nossas assembléias muitos Epafras para interceder pelo povo de Deus continuamente, para agonizar-se em favor dos filhos de Deus. Outro exemplo que temos é o próprio Paulo que, referindo-se a si mesmo, disse que sofria as dores de parto até ser Cristo formado nos irmãos (cf Gal 4:19). Epafras fez a mesma coisa. Ele agonizou em oração em favor dos irmãos.

Quando estamos na carne, nos nossos próprios interesses, não oramos por nossos irmãos! Mas se queremos nos apropriar do reino dos céus, precisamos nos esforçar, e aqui está um exemplo do que nós podemos nos esforçar. E geralmente é nessa questão da oração que muitos de nós fracassam.

Às vezes, reclamamos de alguns irmãos. Dizemos: “Esse irmão é muito problemático, não tem jeito!” Ou, “Aquela irmã é quem fez isso!” Ficamos torcendo até para que Deus a mande para outro lugar, para outra cidade. Nos sentimos até aliviados quando algum irmão ou irmã deixa de estar conosco seja por qual motivo for. O triste de tudo isso é que poucos estão dispostos a pagar o preço de se agonizarem diante de Deus em oração por aquela vida. Mas a Palavra de Deus nos chama hoje a nos esforçarmos na oração em favor dos nossos irmãos, em favor de nós mesmos, em favor de tantas coisas que é do interesse de Deus. Epafras se esforçava, se agoniza sobremaneira, continuamente em favor dos irmãos. Que Deus levante-nos como "Epafras" hoje!


7) Esforçar-se na pregação do evangelho

Há um último exemplo que gostaria ainda de mencionar. Novamente Paulo nos dá este exemplo:

Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio”. (Rm 15:20

“Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho”! Percebemos nas Cartas que Paulo escreveu e no livro de Atos como ele se afadigou para pregar o evangelho. Como ele se esforçou para proclamar o evangelho. Ele dizia: “porque ai de mim se não pregar o evangelho” (1 Cor 9:16). Havia um senso de responsabilidade em pregar o evangelho. Ele se esforçou a tempo e fora de tempo. Onde o Senhor o levava, ele pregava, ele se esforçava.

Vejam a pessoa do Senhor Jesus. Nos exemplos do Senhor, vemos como Ele se esforçava para fazer coisas! Inclusive para pregar o evangelho! Ele mesmo disse certa feita a seus discípulos: “Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim” (Mc 1:38). Incansavelmente o Senhor pregava!

Eu tenho um desejo muito grande no meu coração de ver nas assembléias que eu conheço, principalmente onde eu moro, todos engajados na pregação do evangelho. Irmãos, às vezes julgamos que fomos chamados para nos reunirmos no nome do Senhor e que devemos nos preocupar apenas com a edificação da casa de Deus. Alguns de nós caem no engano de achar que muitas das assembléias tem somente número, mas muito pouca realidade. E usamos isso como desculpa para não avançarmos na pregação do evangelho. Quão enganoso é isso. Quando as pessoas são salvas, elas são acrescentadas ao corpo de Cristo e o crescimento é Deus quem vai dar. Ganhar almas é parte fundamental da edificação da casa de Deus! Cada pessoa que é ganha para o Senhor é uma pedra viva da casa de Deus!

Que o Senhor possa levantar nas assembléias dos cristãos um desejo ardente de ganhar almas. Que possamos nos esforçar em pregar o evangelho de Deus. Este é um mandamento do Senhor. Do Senhor ressurreto! Ele é quem disse isso de um modo muito claro, não há dúvidas, não há interpretação! Ele foi quem disse, “Ide”!

Isso é tão glorioso! Todos nós provavelmente temos a experiência de ao falar do Senhor, de ver as pessoas se convertendo, e naquele momento Deus encher os nossos corações de uma alegria maravilhosa! Enquanto estamos evangelizando, falando do amor de Deus para as pessoas, vem a alegria do Senhor em nossos corações fortalecendo-nos, animando-nos, encorajando-nos! Que glória! Entretanto, muitas vezes, não colocamos essa ordenança do Senhor, o “Ide”, no nosso viver prático. Paulo deixou um ótimo exemplo para nós. Ele se esforçava em pregar o evangelho.

Este é o desejo de Deus. O Senhor nos tem chamado para sermos Seus cooperadores.

Que possamos, pela misericórdia do Senhor, nos esforçar e naquele dia no tribunal de Cristo ouvir do nosso Senhor: “Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor.”


NAquele, em quem podemos nos esforçar,

BP

Comente com o Facebook:

8 comentários:

Lucas Penido disse...

O reino dos céus é (ainda) com certeza um assunto complexo para muitos, gostei muito da maneira com que o irmão explicou de uma maneira bem clara os pontos abordados. Um grande abraço Billy e que o Senhor continue nos capacitando.

Billy Pinheiro disse...

Querido Lucas,
De fato o reino dos céus é uma realidade que para muitos parece complexa e até mesmo confusa. E isso tem uma razão simples: há os mistérios do reino dos céus. Mas bendito seja o Senhor, que referindo a seus discípulos disse: “Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido” (Mt 13:11). A cada um que creu no Senhor Jesus é aberta a oportunidade de conhecer os mistérios do reino dos céus como uma revelação dada por Deus. Por isso, como Paulo orou a favor dos irmãos em Éfeso para que Deus concedesse a eles espírito de sabedoria e revelação (cf. Ef 1:17), devemos orar por nós mesmos para que também recebamos a revelação dos mistérios do reino dos céus. Estão ocultos no coração do Pai, mas Ele se agrada em revelar aos que o buscam. Conhecer os mistérios do reino de Deus é um direito de cada filho(a) de Deus. Que possamos orar: “Senhor dá-nos conhecer a ti mesmo e os mistérios do reino de Deus”!

Um abração!

Billy

Ronaldo disse...

eu só gostaria de entender o seguinte : “Porque pela graça sois salvos mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie, se a salavaçao e graça de Deus para o homem que : Quem crer e for batizado será salvo entao me parece contraditorio dizer que o reino de Deus é tomado a força pois toda obra exige força e toda força resulta em uma obra, até a fé é dada aos escohidos e não é decisão de cada um, entao quero que me explique melhor esse tomado a força.

BP disse...

Caro Ronaldo,
sua dúvida é pertinente e importante que seja esclarecida. Não sei se você leu as três partes desta mensagem. É uma mensagem grande mas acredito que se você a ler por completo terá sua dúvida esclarecida. Caso ainda fique na dúvida depois da leitura por completo, me encaminhe o seu e-mail que farei o melhor para tentar esclarecer.

Um abraço e que o Senhor o abençoe.

BP
esquinadecomunhao@gmail.com

Robson Rosa Santana disse...

A graça da salvação não nos exime do esforço pela pela santificação e obra no serviço do Senhor. Escrevi um artigo que vai na mesma linha do autor deste post. Grande abraço.
Pr. Robson Rosa Santana - IPB
http://rrsantana.blogspot.com.br/2014/05/o-reino-dos-ceus-e-tomado-por-esforco.html

Robson Rosa Santana disse...

Minhas conclusões sobre o texto é semelhante ao do autor deste post.
A graça na salvação nao nos exime do esforço da santificação, da firmeza, do testemunho e serviço.
http://rrsantana.blogspot.com.br/2014/05/o-reino-dos-ceus-e-tomado-por-esforco.html

Giliane Matos de Oliveira de sousa disse...

Ola eu visitei este site pq, tem uma irmã na igreja que prega que o céu é tomada a força, sempre senti isto muito éretico, eu não sabia neim como espricar pra ela que o céu não é tomado a força de Deus, mais sim por esfoço. Ela é uma pessoa dificil pq ela se sente serta. queria pedir ajuda se poder mandar por email alguns veciculos relacionados.
queria poder ajuda-la.

Anônimo disse...

MEU AMADO .A PAZ DO SENHOR..VENHO A DIZER NAS MINHAS DECLARAÇÕES EU GOSTEI DAS PALAVRAS ( FOI UMA PREGAÇÃO AO MEU CORAÇÃO ), FOI UM FORTALECIMENTO, AO ME DEPARA COM A REALIDADE DA PALAVRA DE DEUS, O ESCLARECIMENTO NOTAVEL E BEM EXPLICAVEL , GLORIFICO A DEUS PELAS PALAVRAS...DEUS ME DE UM DOM COMO ESTE, MEU DEUS ...IRMÃO DEUS TE ABENÇOE...E CONTINUE ASSIM , NOS FORTALECENDO NA PALAVRA DE DEUS.
OBREIRO MARCO SAMPAIO
CONG.BATISTA SHEKINAH
D. CAIAS, RJ.