05/11/2007

Batalha Espiritual - A Palavra de Ordem do Senhor

Esta é a quarta postagem que fazemos a respeito do assunto que temos tratado: "batalha espiritual". Temos utilizado como figura e exemplo, a história do povo de Israel conforme registrada no livro de Juízes capítulos 4 e 5.

Vimos na postagem anterior que o primeiro passo no caminho da vitória, da libertação, é o “clamor ao Senhor”. E em resposta a esse clamor veremos o agir de Deus no meio do seu povo conduzindo-o a uma plena vitória na batalha.

O segundo passo é “receber e obedecer aquilo que o Senhor nos ordena em Sua Palavra”!

Voltemos ao texto de Juízes:

“Débora, profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo. Ela atendia debaixo da palmeira de Débora, entre Ramá e Betel, na região montanhosa de Efraim; e os filhos de Israel subiam a ela a juízo. Mandou ela chamar a Baraque, filho de Abinoão, de Quedes de Naftali, e disse-lhe: Porventura o Senhor Deus de Israel não deu ordem, dizendo: Vai, e leva gente ao monte Tabor, e toma contigo dez mil homens dos filhos de Naftali e dos filhos de Zebulom? E farei ir a ti para o ribeiro Quisom a Sísera, comandante do exército de Jabim, com os seus carros, as suas tropas: e o darei nas tuas mãos”. (Jz 4:4-7).


Vemos nesses versos o Senhor se compadecendo do Seu povo e enviando o socorro, após ter ouvido o seu clamor. Através de Débora Ele envia uma palavra profética para despertar Seu povo e levá-lo à vitória sobre o seu opressor. Esta palavra estabeleceu o que o povo deveria fazer para que o Senhor entregasse o inimigo nas suas mãos. E o que deveriam fazer? Apenas crer e obedecer a ordem do Senhor.

Eles participariam de uma batalha cuja vitória era certa, poism o Senhor é quem iria à frente deles (v. 4:14), dando nas mãos do Seu povo a Sísera com seus carros e suas tropas (v. 4:7). E quem de fato derrotou o inimigo? No versículo 4:14 nos é dito que o “Senhor derrotou a Sísera, e a todos os seus carros, e a todo o seu exército a fio da espada diante de Baraque”. O que eles precisaram fazer além de atender a convocação do Senhor? Nada!

Aleluia! Na nossa batalha quem vai a nossa frente é o Senhor! Quem derrota o inimigo diante de nós é o Senhor! Cabe-nos apenas dar um passo de fé obedecendo a Sua Palavra, cumprindo aquilo que ela nos ordena.

Débora estava numa posição de vencedora e é usada por Deus como mãe de Israel (v. 5:7) e trouxe a Palavra da parte do Senhor para animar o povo. Nos é dito que Débora habitava debaixo de uma palmeira que depois veio a ter o seu nome, entre Ramá e Betel.

A nossa posição deve ser como essa de Débora: estar habitando entre Ramá e Betel. Ramá significa “lugar alto” e nos lembra da nossa posição, de que estamos assentados nos lugares celestiais em Cristo (Ef 2:6) e fomos abençoados com toda sorte de bençãos espirituais (Ef 1:3). Betel, que é a “Casa de Deus”, fala-nos de qual deve ser a nossa experiência. A casa de Deus é o lugar para expressarmos e manifestarmos, juntamente com todo o povo do Senhor, aquilo que temos recebido em Cristo. Ou seja, a nossa experiência deve ser a expressão daquilo que é celestial, ela deve refletir a posição que temos em Cristo. A Casa de Deus também nos fala da nossa comunhão uns com os outros, do nosso fortalecimento corporativo. Precisamos de todos os irmãos e irmãs para experimentarmos a plena vitória do Senhor nas nossas vidas. O resultado dessa realidade é de que prosperaremos no caminho do Senhor. As Escrituras nos falam de que “o justo florescerá como a palmeira” (Sl 92:12) e o registro de que Débora habitava debaixo da palmeira vem nos lembrar isso.

É interessante notarmos que o Espírito do Senhor não somente registrou "Débora, profetisa", mas também, "mulher de Lapidote". Creio que o Espírito Santo registra aqui o cabeça de Débora, seu marido, para nos lembrar que devemos estar sujeitos ao governo de Deus, pois estar debaixo do governo de Deus é estar numa posição de vencedor. Quando estamos debaixo do governo do Senhor, sujeitos ao Senhorio de Cristo, o nossa cabeça, receberemos a Palavra de Deus, e em obediência e confiança avançamos.

Baraque recebeu uma palavra muito específica da parte do Senhor, trazida por Débora. Ela faz uma pergunta a ele: "Porventura o Senhor Deus de Israel não deu ordem dizendo: Vai, e leva gente ao monte Tabor, e toma contigo dez mil homens dos filhos de Naftali e dos filhos de Zebulom?" Esta pergunta nos sugere uma coisa: Quando ela trouxe essa palavra profética para Baraque, na realidade Deus já havia falado com ele.

Baraque já sabia da vontade de Deus, mas ele estava demorando a fazer aquilo que era do propósito do Senhor. Ele estava sendo lento demais em fazer a vontade do Senhor. Essa era uma das suas fraquezas. E Débora, com essa palavra profética, tenta despertá-lo novamente. Era como se Débora estivesse falando a Baraque: ‘O Senhor não falou isso? O que você está esperando? Anima-te! Ergue a tua espada a favor do Senhor e do Seu povo!’.

É necessário que a Palavra do Senhor venha a nós com frescor, com poder, com unção para nos reanimar. É necessário muitas vezes que aquela palavra escrita (logos) se torne uma palavra viva (rhema)! E na questão da batalha é essa palavra viva que fará a diferença. Ela é a verdadeira espada do Espírito (Ef 6:17).
A situação de Baraque nos faz lembrar aqueles dois discípulos no caminho de Emaús. O Senhor os exortou dizendo: "Ó néscios e tardos de coração para crer...” (Lc 24:25). Parece-nos que Baraque estava nessa situação de fraqueza. O Senhor já havia falado, ele já sabia o que deveria fazer, mas pela sua incredulidade estava demorando em agir de acordo com a vontade do Senhor. E, portanto, ele precisava ser despertado.

Quantas coisas o Senhor já tem falado conosco! O Senhor tem nos mostrado o que devemos fazer com alguma situação na nossa vida. Algum cativeiro, algum pecado oculto, alguma fraqueza que nos tem feito tropeçar etc, mas parece que muitas das vezes nos demoramos em agir de acordo com a Palavra do Senhor. Conhecemos o que as Escrituras nos dizem a respeito da situação que estamos vivendo, mas aquelas verdades de Deus ainda não se tornaram realidade em nós.

Por exemplo, você conhece a expressão das Escrituras “não temas” (Alias essa expressão aparece 366 vezes na Bíblia! Uma para cada dia do ano, até mesmo há uma provisão para o ano bissexto!), mas você pode estar passando por uma situação em que mesmo querendo confiar, você sente-se com medo. Mas, pela misericórdia do Senhor, de uma forma maravilhosa o Espírito Santo aviva esta palavra em seu coração! Oh, que glória, porque com essa palavra viva no seu coração nada mais te detem! Toda confiança e fé nascem de modo vigoroso.

Lembro–me que, muitos anos atrás, eu estava passando por uma experiência na qual mesmo tentando confiar estava com medo do que poderia vir a acontecer-me. Nessa situação o Senhor trouxe ao meu coração a palavra de Isaías 41:10: “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel”! Uma palavra viva! Lançou fora todo o receio, todo o medo e uma fé firme no Senhor se manifestou. Aleluia! O Senhor sempre nos envia o seu socorro. Aquela expressão que eu já conhecia se tornou viva na minha experiência.

Talvez isso esteja acontecendo com você nesse exato momento. Você está na batalha e precisa desesperadamente de uma palavra viva do Senhor. Pode ser que você já conheça a verdade do Senhor, conheça o "logos", mas ainda essa verdade não fez efeito em sua vida. Por exemplo, quem sabe você está esperando a vitória especificamente sobre alguma concupiscência da carne que o atormenta. Você conhece Romanos 6:6, “Sabendo isso, que foi com ele crucificado o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”, mas ainda não é uma realidade em sua vida. E como Jacó, você se agarra no Senhor e o não permite ir até que Ele torne essa palavra real, que torne esse “logos” em “rhema” para você. Ó, quanta diferença será dali pra frente! Essa palavra se torna a espada do Espírito em sua vida e então você entra na vitória que há em Cristo Jesus.

Ó meus queridos irmãos, que o Senhor nos dê a graça de podermos fazer “habitar em nós ricamente a Palavra (logos no grego) de Cristo” (Col 3:16) e que roguemos ao Senhor que Ele pelo seu bendito Espírito Santo possa soprar essa palavra de modo a torná-la viva para cada um de nós!

Baraque era vizinho de Hazor. Ele vivia nessa cidade e Jabim estava do seu lado. Dia a dia ele estava convivendo com aquela situação de opressão, mas ainda não se tinha levantado em favor do Senhor, em favor do seu povo, em favor de si mesmo. Quantas vezes somos como Baraque! A sua fé estava misturada com a fraqueza, pois ele diz a Débora: "Se fores comigo, irei; porém se não fores comigo, não irei. (v. 4:8)" Havia um temor e uma fé tímida em Baraque.

Às vezes o Senhor tem que nos dizer como disse aos seus discípulos: "Por que sois tímidos, homens de pequena fé?" O Senhor já havia falado com eles: "vamos atravessar, vamos para o outro lado", mas havia uma timidez de fé. Baraque está nessa situação. Ele disse a Débora: ‘Eu vou, mas somente se você for comigo’. Débora prontamente diz: irei! Por quê? Porque ela não tinha nenhuma dúvida de que aquela era a Palavra do Senhor, que este era o propósito de Deus. Ela de fato estava na posição de vencedora!

Baraque é então advertido por Débora: “Certamente irei contigo, porém não será tua a honra da investida que empreendes; pois às mãos de uma mulher o Senhor entregará a Sísera” (v. 4:9). E de fato, Baraque não recebeu a honra da investida da batalha contra Sísera. Jael foi quem levou essa honra.

Isso nos remete a uma solene palavra do Senhor Jesus à igreja em Filadélfia: "Venho sem demora, conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa" (Ap 3:11). Na batalha do Senhor precisamos ser fieis à sua Palavra para não incorrermos em perdas. Diante do tribunal de Cristo, poderá acontecer que alguns de nós venhamos a perder algum privilégio, algum galardão, alguma recompensa que o Senhor havia preparado para nós, ainda que a nossa posição em Cristo, de filhos de Deus, permaneça inabalável!

E a semelhança de Baraque, muitos de nós na nossa caminhada espiritual, na nossa batalha, não começamos bem: nos demoramos por causa da incredulidade e não aceitamos sem reservas a Palavra do Senhor. Mas graças ao Senhor, vemos em Baraque alguém que mesmo tendo alguma dificuldade no início da sua carreira ele a concluiu de modo digno do Senhor! E temos a evidência clara de que ele completou bem a sua carreira, pois vemos o seu nome registrado na “galeria dos heróis da fé” ali em Hebreus 11 junto de vencedores como Sansão, Samuel e muitos outros.

Isso traz claramente à nossa memória, o que o Senhor diz através de Paulo: "...o que se requer dos despenseiros é que cada um seja encontrado fiel" (1 Cor 4:2). É muito doloroso começarmos mal a nossa carreira com o Senhor; ou então no meio do caminho também estarmos mal na nossa carreira. Mas importa muito mais o como cada um de nós concluirá a sua carreira diante do Senhor.

Baraque, depois dessa batalha, ainda continuou fazendo as batalhas do Senhor. Dizem os versículos 23 e 24 do capítulo 4: "Assim Deus naquele dia humilhou a Jabim, rei de Canaã, diante dos filhos de Israel. E cada vez mais a mão dos filhos de Israel prevalecia contra Jabim, rei de Canaã, até que os exterminaram." Ele foi até o fim e concluiu bem a sua carreira, sendo fiel. De uma fé vacilante, tímida, fraca, agora vemos um pleno fortalecimento. Quando ele viu o braço poderoso do Senhor agindo, quando ele viu cumprindo-se aquela palavra dada a ele, cumprindo-se o propósito de Deus, ele se fortaleceu no Senhor e na força do Seu poder!

O Senhor, na sua graça, nos faz experimentar a sua bondade e fidelidade. E ao experimentarmos o cumprimento da sua Palavra em nossas vidas somos encorajados e fortalecidos em nossa fé. Ele nos chama, nos convoca para a batalha, assim como Baraque foi convocado. Precisamos nos levantar e marchar em nome do Senhor. O nosso general, Cristo Jesus, está indo à nossa frente. A batalha é dEle e Ele é quem nos dá a vitória. Nesse chamado, ou nessa convocação para a batalha, que possamos dizer como Paulo: “combati o bom combate, completei a carreira”! Que possamos ser encontrados pelo Senhor como aquele servo fiel, que receberá o louvor do seu senhor: “Servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor” (Mt 25:21).

O nome Baraque nos é lembrado como o filho de Abinoão (v. 4:6). Um dos significados do nome Abinoão é “pai da graça”. Não é interessante que para participar da guerra do Senhor seja convocado um que é filho do "pai da graça"?

Ó, meus queridos, nós que um dia fomos salvos pela graça de Deus, somos agora filhos do Pai da graça! Aleluia! E somente aqueles que são os filhos desse Pai são convocados para a batalha. Uma batalha na qual experimentaremos a vitória porque estamos do lado vencedor, estamos no vencedor, em Cristo! Tremendo privilégio!

Alegre-se no Senhor! Você foi convocado(a) para a batalha porque você é um(a) filho(a) do Pai da graça!

Naquele que transbordou a Sua graça a nosso favor,

BP
=================
Abaixo seguem os links para as demais postagens dessa série:

Comente com o Facebook:

4 comentários:

Gonzalo Sepulveda disse...

La palabra me bendice...muchas veces la batalla es dura y las fuerzas flaquean...pero somos hijos del Padre de la gracia, la batalla es del Señor y El da la victoria...sigamos firmes y adelante, confiados en el Gran Vencedor.
Gonzalo Sepulveda de Temuco, Chile

Anônimo disse...

En este segundo paso "recibir y obedecer aquello que el Señor nos ordena en Su Palabra"; hemos de considerar hermanos, que la obediencia es CREER a su palabra, tal como dice en hebreos 3:18-19 "¿Y a quiénes juró que no entrarían en su reposo, sino a aquellos que desobedecieron? Y vemos que no pudieron entrar a causa de incredulidad". No podemos obedecer al Señor en nuestra vida práctica si en nuestro corazón no creímos primeramente. Porque como está escrito hermanos, el justo por la fe vivirá...
¿Qué debemos hacer para hacer para poner en práctica las obras de Dios?, ESTA ES LA OBRA DE DIOS, QUE CREÁIS EN EL QUE ÉL HA ENVIADO.
Amén

Sandro, Chile.

AM disse...

Avancemos irmãos,Pelo incentivo desta palavra na certeza de que o nosso Deus e fiel e verdadeiro e ele mesmo nos da força e renova a nossa fé, não temas por o Senhor Jesus Cristo esta entre nos.

Leonardo Guerino disse...

Estarei ministrando a palavra do SENHOR daqui a pouco, e Deus me deu a palavra RHEMA em cima do capítulo 5 de Juízes, mas ainda não tinha compreendido algumas chaves, do que o Espírito Santo deseja enfatizar a igreja dEle jájá, orei a Deus e acabei entrando na internet a procurar o significado da palavra Abinoão e Baraque, e pue compreender com aleitura do texto como devo ser usado hoje, texto muito bom. Que Deus os abençoe, e que hoje o fogo de DEUS possa transformar muitas vidas. Tbm me identifiquei muito com Baraque hoje, aoler o texto.
www.vidasparacriso.com.br