10/03/08

O reino dos céus é tomado por esforço - Parte 1

“...o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”. (Mateus 11:12)

Queridos amigos:

Alegramo-nos sobremaneira pela vida do Senhor Jesus que está em nós. Vida que recebemos como uma dádiva maravilhosa do Pai. Não fizemos absolutamente nada para recebê-la. O Pai nos amou com amor eterno, e deu o Seu Filho a nós, e assim recebemos a vida do seu Filho que hoje está em nós, como dizem as Escrituras, “Cristo em vós, a esperança da glória” (Col 1:27).

Muito embora recebendo tamanha benção e privilégio, recebemos também associada a este benefício uma responsabilidade. O nosso Senhor Jesus foi assunto aos céus e recebeu um nome que está acima de todo o nome, se assentou a destra do Pai e voltará. E até a Sua volta, Ele nos deixou algumas incumbências, algumas coisas para fazer, responsabilidades sobre cada um de nós que pertencemos a Ele.

A esse respeito, a partir da afirmação do Senhor Jesus em Mateus 11:12, gostaria de compartilhar com vocês algumas reflexões. Elas são a transcrição e edição da
mensagem que preguei na Conferência em Contagem - MG em Fevereiro/2007.



“Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”. (Mt 11:12 – Almeida, revista e atualizada)

Em algumas traduções nós vamos encontrar que “o reino dos céus tem sofrido violência, e que os homens violentos se apoderam dele”, que os homens violentos tomam posse dele. O reino dos céus tem sido tomado por esforço, por violência, e aqueles que são violentos ou nessa tradução que estou usando, aqueles que se esforçam se apoderam dele. Gostaria de enfatizar essa expressão: “aqueles que se esforçam”.

Antes de focar aquilo que está no meu coração com respeito a esta expressão, eu gostaria de estabelecer alguns fundamentos, algumas bases para um melhor entendimento do assunto que queremos tratar.

Os aspectos do Reino de Deus

Quando falamos em reino de Deus, a Palavra do Senhor dá uma abrangência muito maior do que normalmente os cristãos consideram. Muita confusão e muitas disputas têm acontecido em torno desta realidade e de seu entendimento dela entre os cristãos. A minha compreensão é que muitas destas disputas cessariam se os cristãos vissem com mais clareza e simplicidade os aspectos do reino de Deus.

Se você verificar, por exemplo, numa concordância bíblica todas as ocorrências dos versículos que falam a respeito dessa expressão, “reino de Deus” e “reino dos céus”, você descobrirá pelo menos três aspectos do reino de Deus.

O primeiro deles é o aspecto passado: O reino de Deus está em nós.

O Senhor Jesus ao ser “Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós” (Lc 17:20). Neste caso o reino de Deus já veio, é algo que aconteceu no passado, quando cremos no Senhor Jesus, quando nascemos de novo. A expressão que podemos usar neste caso é: o reino de Deus "já veio".

Mas há também um aspecto presente do reino de Deus. Percebemos isso com muita clareza naquele evento registrado em Mateus 12. O Senhor estava sendo acusado pelos fariseus que diziam: “Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios” (Mt 12:24). Entre algumas coisas que o Senhor falou em resposta a esta acusação há uma afirmação muito interessante com relação ao reino de Deus: “Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós” (Mt 12:28).

O que podemos depreender desse evento e dessa afirmação é que sempre que a autoridade do Senhor é manifestada na terra, quando Satanás e suas obras são subjugados, o Senhor tem feito chegar o Seu reino entre nós. E esta é uma responsabilidade nossa, da igreja, em fazer chegar o reino de Deus onde estivermos. Então nesse aspecto o reino dos céus está chegando. É um aspecto presente do reino de Deus. A expressão que podemos usar neste caso é: o reino de Deus "está vindo".

Mas há um aspecto futuro, que ocorrerá quando o Senhor Jesus literalmente voltar. Na Sua volta teremos a presença real do Senhor; Ele virá em glória, como leão da tribo de Judá e reinará sobre esta terra. Ele se assentará no trono de Davi e reinará nesta terra por mil anos. Esse aspecto fala-nos do reino milenar (Ap 20:6). A igreja do Senhor, ou mais especificamente, aqueles que vencerem no tempo presente, estarão com o Senhor neste reino milenar. Este é um aspecto futuro do reino de Deus. A expressão que podemos usar neste caso é: o reino de Deus "virá".

Deveríamos ver um aspecto talvez mais longínquo, um futuro mais distante, quando o Senhor Jesus entregará a chave do reino ao Pai. “E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder” (1 Cor 15:24). E aí inaugurará um reino eterno. Onde nos é dito que aqueles que são do Senhor reinarão pelos séculos dos séculos (Ap 22:5).

Resumindo, temos então: um aspecto passado – o reino de Deus está em nós; o aspecto presente do reino – todas as vezes que a autoridade do Senhor Jesus é manifestada, o senhorio do Senhor é manifestado, quando o inimigo e suas obras são subjugados, o reino tem chegado até nós. E finalmente há aquele aspecto futuro, aquele reino milenar que o Senhor prometeu, que será um prêmio para muitos do Seu povo.

Eu creio que é a respeito deste reino futuro que o Senhor Jesus está falando em Mateus 11. “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele” (v.12). O reino será um prêmio para aqueles que se esforçam, será uma recompensa que eles receberão. Precisamos então entender o que significa esse esforço ou essa violência que o Senhor menciona, uma vez que esta é a condição que o Senhor colocou para alguém possuir este reino.




Para facilitar o entendimento, abaixo segue uma tabela resumindo o que temos escrito até agora sobre os aspectos do reino.




Dádiva x Recompensa

Há um outro ponto muito importante que precisamos mencionar. É a diferença existente nas Escrituras entre dádiva e recompensa. Se não fizermos a distinção entre essas duas verdades certamente faremos muita confusão.

A dádiva está relacionada com a graça de Deus sobre as nossas vidas, o dom gratuito de Deus, aquilo que Ele nos deu em Cristo. Não fizemos absolutamente nada para receber. Ele nos deu a vida eterna, Ele nos deu o Seu Filho, Ele nos deu todas as coisas em Cristo Jesus. Fomos eleitos em Cristo Jesus. Fomos escolhidos em Cristo Jesus. Temos a vida eterna por causa da obra do Filho de Deus. Isso jamais vai nos ser tirado. É uma dádiva de Deus. O que vai nos separar do amor de Cristo? Absolutamente nada! Nós nos alegramos com isto, é algo eterno, é uma aliança incondicional de Deus para conosco. E como diz a Palavra de Deus: “os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis” (Rom 11:29), são sem arrependimento. O Senhor nos deu a Sua vida, é uma dádiva de Deus, é um dom de Deus. É irrevogável, sem arrependimento.

Entretanto, há um aspecto relacionado não à dádiva, mas àquilo que nós recebemos como uma recompensa, como um prêmio por aquilo que fizemos em resposta ao que a graça de Deus operou em nós, por aquilo que nós permitimos o Espírito Santo fazer em nossas vidas.

Quando o Senhor disse à igreja em Esmirna: “Sê fiel até a morte”, o que vai acontecer? Ele completa: “e dar-te-ei a coroa da vida”. (Ap 2:10). Assim há uma condição para receber a coroa da vida: ser fiel. E aqueles que crêem que perdem a salvação dizem: “Está vendo, vai perder”. Mas prestem atenção, é muito simples esta leitura: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei" (não a vida), mas a coroa da vida”. Com relação à vida, a Palavra do Senhor nos diz através do apóstolo João que “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 Jo 5:12). João diz isso de uma maneira muito direta, muito simples, sem qualquer complicação. Não há o que interpretar aqui.

Mas a questão de recebermos o galardão, de recebermos as recompensas, está ligada à nossa responsabilidade; está ligada àquilo que fizemos com a graça disponível que Deus nos deu. Está relacionada à nossa fidelidade como despenseiros de Deus. E como o apóstolo Paulo diz “o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel” (1 Cor 4:2). E para aqueles que forem encontrados fiéis haverá uma recompensa.

O Senhor Jesus nos disse que, quando Ele vier, retribuirá a cada um de nós segundo as nossas obras, segundo aquilo que fizermos (Mt 16:17). Na sua volta o Senhor vai estabelecer o tribunal de Cristo. A Palavra do Senhor em 2 Coríntios 5:10 diz: “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo”, - E para quê? - “para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo”. Todos nós cristãos, nascidos de novo, teremos que prestar contas da nossa mordomia.

Nunca é bastante enfatizarmos que a nossa salvação eterna depende apenas da graça de Deus. É dom de Deus! Uma dádiva celestial! Nunca poderia depender das nossas obras, da nossa justiça que, como nos asseveram as Escrituras, não passa de trapos da imundícia (Is 64:6). E, portanto, no tribunal de Cristo, longe de se ter um julgamento para decidir se vamos ou não receber a vida eterna, haverá o julgamento das nossas obras. Poderemos receber o bem ou mal que tivermos feito por meio do corpo (2 Cor 5:10). Haverá perda sim, mas não a perda da salvação, da vida eterna. Poderá ocorrer a perda do privilégio de receber os galardões, as recompensas por nossa fidelidade ao Senhor. Nesse tribunal será dado como prêmio o reinar com Cristo no Seu reino milenar que será estabelecido na terra na Sua volta. Como está escrito em 1 Coríntios 3:11-15:





"Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo".



Preste atenção nos "SE" que Paulo usa. Há uma condição para receber o galardão, a recompensa. Mas ainda que alguém não receba nenhuma recompensa, esse mesmo será salvo!

O Senhor diz à igreja em Filadélfia: “Conserva o que tens”, para quê? “para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3:11). Não é a vida, a vida ninguém pode nos tirar, é obra do Senhor Jesus, é o dom gratuito de Deus. Nada pode nos tirar esta vida, somos filhos de Deus pela obra do Senhor Jesus e nada, nem ninguém, vai nos tirar este dom, absolutamente nada. Mas a coroa pode nos ser tirada. “Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”. E coroa fala de reinar. E claro que, no caso dos cristãos, aponta para o reinar com Cristo no futuro.

De modo muito simplificado, apenas para elucidar um pouco mais a distinção que estamos fazendo aqui sobre dádiva e recompensa, segue abaixo o seguinte quadro:

Creio que com esse pano de fundo podemos voltar agora para Mateus 11:12.

O reino dos céus e tomado por esforço

O verso de Mateus 11:12 por muito tempo foi estranho para mim. O que o Senhor Jesus queria dizer com “os violentos se apoderam do reino”, ou que "o reino dos céus é tomado por esforço e os que se esforçam se apoderam dele”?

Se desejamos reinar com o Senhor precisamos buscar entender esta palavra. Devemos desejar reinar com o Senhor; e não só isto, mas desejar que o reino dEle venha. Foi assim que Ele nos ensinou a orar. Lembram da oração que ele ensinou aos seus discípulos? “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino” (Mt 6:9-10).

Queremos ver o reino de Deus manifestado em nossas vidas agora, mas também queremos vê-lo manifestado literalmente sobre a terra. A Palavra de Deus diz que “a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas cobrem o mar” (Habacuque 2:14). Que coisa gloriosa para nós cristãos! Podermos já agora, como diz o livro de Hebreus, desfrutar dos poderes do mundo (século) vindouro (Heb 6:5). Há grandes coisas que Deus tem preparado para o Seu povo! Há um reino inabalável (Heb 12:28) nos aguardando.

Continuaremos numa próxima postagem.

NAquele que virá e não tardará,

BP

3 comentários:

Anônimo disse...

Amén hermano, el reino de los cielos se toma por violencia, y los violentos lo arrebatan ( lo toman). Querido hermano, ha habido momentos en los que he tenido confusión en esto, que me llevaban a la pasividad. Qué bueno es que el Señor nos clarifique su voluntad a través de su Palabra. Ya que la salvación es por gracia, a veces pensamos que nosotros no tenemos nada que hacer, pero nada más alejado que esto, pues nos queda mucho por trabajar, ¿qué tipo de trabajo?, el Señor nos dice: " Trabajad, no por la comida que perece, sino por la comida que a vida eterna permanece, la cual el Hijo del Hombre os dará; porque a éste señaló Dios el Padre". Amén gloria Dios, hay algo en que debemos esforzarnos, y aquello es en buscar al Señor, buscar el reino de los cielos. Este es nuestro esfuerzo. Dios nuestro Padre tiene una provisión completa para nosotros en su Hijo; pero no disfrutamos de esta provisión si nos quedamos pasivos. Cuando fuimos salvos, hubo una decisión por Cristo, por creerle a Él, salvos por gracia, por medio de la fe en Él. Una vez salvos, el andar cristiano también es por fe, y esa fe tiene una obra, y esa obra es que buscamos al Señor. Si realmente creemos al Señor, hay una consecuencia (obra) y esa obra es obedecer su palabra, y su palabra nos llama ser activos en la búsqueda del reino de los cielos. Col 3:1 "Si, pues, habéis resucitado con Cristo, buscad las cosas de arriba, donde está Cristo sentado a la diestra de Dios". La consecuencia de esto es que el Señor, el Labrador, nuestro Amo, Rey y Señor, tendrá fruto; del fruto Él se encarga;... mas hay un llamado para nosotros: "Tú, pues, hijo mío, fortalécete en la gracia que hay en Cristo Jesús" ( Biblia de Las Américas", llénate de poder en la gracia que es en Cristo Jesús, sé fortalecido en la gracia que es en Cristo Jesús.
Amén, la recompensa es grande,tal como lo has mencionado hermano Billy, que cosa más hermosa reinar con nuestro amado, dulce Rey y Señor, Jesucristo.
Saludos de Chile.

Anônimo disse...

Aleluia ! Alegrei-me com estas explicações ,e esclarecimentos. Seria bom se todos os irmãos lessem, pois aumentaria a vontade de trabalhar na obra do Senhor Jesus .Parabéns pela iniciativa . O senhor vos abençoe e vos guarde .

C@/\/\1LL0 disse...

Gostei muitoo mas irmao qual a diferença entre salvaçao e galardao?