29/02/2008

O que a igreja deve fazer na presente época?

Nestes dias tenho refletido sobre qual seria a direção de Deus nossa época para a Sua igreja. O que a igreja do Senhor deve ter como prioritário, ou melhor, o que a igreja deve fazer na presente época?

Normalmente temos a tendência em dar aquelas respostas muito gerais, como por exemplo, pregar o evangelho, acudir ao necessitado, buscar a santificação, ter uma vida de oração etc. Mas não me refiro àquilo que deveria ser a ação da igreja em todas as épocas. Refiro-me àquilo que é específico para a nossa época, para esta geração.

Antes de prosseguir, permita-me mencionar aqui que quando estou falando igreja não estou me referindo a nenhum grupo denominacional, seja católico ou protestante, ou mesmo a qualquer grupo independente. Mas me refiro ao corpo de Cristo que é formado por todos aqueles que, em todos os lugares, receberam a Cristo e foram lavados no Seu sangue e se tornaram filhos de Deus.


Quando olhamos a história da igreja, vemos que em épocas diferentes o Senhor conduziu o Seu povo de modo muito específico. Tomemos como exemplo a época da Reforma. Num período de tão grandes trevas espirituais, o Espírito Santo conduziu o Seu povo para a restauração da verdade da justificação pela fé, do sacerdócio universal de cada crente e da bíblia aberta ao povo. Esse foi o guiar específico do Espírito Santo para aquela época. E a partir daí, como sabemos, Deus restaurou tantas verdades que estavam “ocultas e perdidas” à vista do Seu povo.

Outro exemplo: No século XIX, vimos Deus conduzindo o Seu povo para um grande mover missionário e também restaurando a verdade da unidade da Sua igreja. Muitos dos filhos de Deus começaram a compreender o Seu coração com relação à igreja que é o Seu corpo.

O que vemos sempre na história da igreja, como também na história de Israel no Antigo Testamento, é que o Senhor levanta homens e mulheres que discernem a época em que vivem e conhecem a mente de Deus para saber o que o Seu povo deve fazer de modo muito específico.

A questão que gostaria de colocar é essa: e quanto a nós? Conhecemos a nossa época? E o que devemos fazer como igreja do Senhor?

Há uma expressão muito interessante a respeito dos filhos de Issacar, na época do rei Davi, que diz que eles eram “...conhecedores da época, para saberem o que Israel devia fazer...” (1 Crônicas 12:32).

Como igreja do Senhor Jesus também precisamos de homens e mulheres que possam discernir a época em que vivemos e conhecer qual a direção do Senhor para o Seu povo. Como precisamos dos “filhos de Issacar” hoje!

Quando olhamos para o que tem caracterizado a nossa época, nos deparamos com o fato de que tudo aponta para a iminente volta do Senhor. Todos os sinais estão aí, visíveis para qualquer um, de que esta é a última hora. Estamos nos últimos dias de que nos falam as Escrituras, dias próximos à volta do Senhor! É como o Senhor diz:

“E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores”. (Mateus 24:6-8)

Temos assistido a isso constantemente, século após século, mas a cada novo período de um modo intensificado.

Entretanto gostaria de chamar a sua atenção para duas passagens das Escrituras falando sobre aqueles dias que antecedem a volta do Senhor:

“Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda uma vez, daqui a pouco, e farei tremer os céus, e a terra, e o mar, e a terra seca; e farei tremer todas as nações, e virá o Desejado de todas as nações, e encherei esta casa de glória, diz o SENHOR dos Exércitos”. (Ageu 2:6-7, versão Almeida, Revista e Corrigida)

“Aquele, cuja voz abalou, então, a terra; agora, porém, ele promete, dizendo: Ainda uma vez por todas, farei abalar não só a terra, mas também o céu. Ora, esta palavra: Ainda uma vez por todas significa a remoção dessas coisas abaladas, como tinham sido feitas, para que as coisas que não são abaladas permaneçam. Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor.” (Hebreus 12:26-29)


Haverá um tremendo abalo em todas as coisas nos dias próximos à volta do Senhor. No profeta Ageu o Senhor diz que tudo será abalado: céus, terra, mar e todas as nações. E no livro de Hebreus o Senhor promete que abalará não só a terra, mas também o céu. E por quê? “Para que as coisas que não são abaladas permaneçam”!

Nesse período final que antecede a volta do Senhor, veremos o abalar de Deus de um modo intenso e em toda a terra. Todas as nações serão sacudidas para que aquilo que não é abalável permaneça e se manifeste.

“Bem”, alguns podem argumentar, “isso acontecerá com as nações, mas com a igreja nada deve acontecer”. Será? Creio que não. É também por causa da igreja que esse abalar de Deus começa a ser intensificado. Ou será que a igreja do Senhor, o povo do Senhor, não tem colocado no centro de suas vidas coisas que são abaláveis?

O Senhor usará todos esses abalos para despertar a sua igreja. Para que muitos dos Seus filhos possam ter como centro em suas vidas aquilo que é de Deus, do Seu Reino que é inabalável! Ou como nos diz em Hebreus, ”recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável”.

Certamente esses abalos de Deus podem trazer muitas aflições sobre o povo do Senhor, mas ainda assim é a manifestação do amor de Deus para com o Seu povo levando-o a desarraigar-se das coisas terrenas, passageiras, a fim de buscar as coisas do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus.

Para ilustrar o que estou querendo dizer, cito apenas um exemplo. Pense por um momento no colapso da economia mundial. Veja o que tem acontecido exatamente nestes dias com a economia dos Estados Unidos da América. O dólar está perdendo o seu valor de maneira impressionante. O desemprego está crescendo assustadoramente na economia número um do mundo (tudo nos indica que em breve não será mais a número um). Nos meses recentes, milhares, senão milhões, de pessoas perderam as suas casas naquele país. E pergunto: será que há irmãos afetados por este abalo? Naturalmente que há! Certamente muitos estão vivendo em dificuldades com esta nova situação.

Há um aperto que atinge não só as pessoas não cristãs, mas também os crentes em Jesus. Lembremo-nos das palavras do Senhor Jesus: “Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mateus 6:21)

E em várias situações, não só na questão econômica, temos visto um forte abalo. E exatamente nesta época presente do abalar de Deus, vemos de um modo geral a igreja do Senhor vivendo numa situação semelhante à de Laodicéia. Profeticamente Laodicéia é o último estágio da igreja antes da vinda do Senhor. Cremos que de um modo geral o que está descrito ali, é o que caracteriza o período atual da igreja.

Ela pensa a respeito de si mesma: “sou rica, abastada, de nada tenho necessidade”. Mas o Senhor a vê de modo muito diferente: “e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cega e nu”.

O evangelho que tem sido pregado não é o evangelho do Senhor Jesus, mas o “evangelho” da prosperidade. Um evangelho que conduz as pessoas a serem inimigas da cruz de Cristo e a buscarem os seus próprios interesses. Um evangelho onde o homem está no centro e não Cristo! Tudo gira em torno da felicidade e sucesso do homem e não da glória de Deus. Onde Deus é o servo e não o homem! Onde o homem na sua loucura e insensatez quer “determinar” o que o Soberano Senhor deve e não deve fazer. Oh, quanta tolice e quanto engano das trevas.

Quanta “auto-ajuda” tem chegado até à igreja tendo os púlpitos como porta de entrada. O que tem sido pregado incansavelmente tem sido aquilo que atrai as multidões, mas não a palavra da cruz que é loucura para os que se perdem, mas para nós o poder de Deus. Tem sido colocado no centro da igreja coisas totalmente abaláveis que não podem permanecer. E o Senhor está do lado de fora, batendo à porta! Louvado seja o Senhor porque mesmo nesta situação, o seu desejo de estar com a igreja permanece. Ele está desejoso de entrar e cear, de ter comunhão. Bendito seja o Senhor pela sua misericórdia e seu amor incondicionais por cada um de nós Seus filhos.

Diante desta situação, da época em que vivemos, o que devemos fazer como igreja do Senhor? O que Deus deseja para o Seu povo em nossa geração? O que devemos priorizar?

Gostaria de deixar em aberto essas perguntas, e convidá-lo (a) a permanecer um tempinho aqui nessa “Esquina de Comunhão” e compartilhar com todos nós o que você crê ser a(s) resposta(s). A palavra está com você, é só entrar nos comentários e nos dizer.

Nele, que nos enviou o Espírito Santo para nos guiar a toda a verdade,

BP

Comente com o Facebook:

7 comentários:

Abilio disse...

Amado Billy, muito oportuno o seu quetionamento, que soa como alerta a todos nós regatados e reconciliados pelo precioso sangue de CRISTO JESUS.Acho que a Igreja precisa urgentemente derrubar os muitos "muros" que separam os seus membros,resgatando a unidade,cumprindo assim o que o SENHOR quer,ou seja, a manifestação do FILHO atraves do seu Corpo, resgatando neste tempo do fim o testemunho, para que a luz de CRISTO brilhe neste mundo tenebroso

Que o SENHOR continu sua obra em nós.

Abilio Medeiros

Anônimo disse...

Billy,muito importante e extremamente prática esta reflexão. Creio que precisamos,bem de ínicio, identificar a época que estamos vivendo. Adianto minha própria compreensão:bem próximo à volta do Senhor.Isto me leva, por consequência, a considerar atentamente o que a Palavra de Deus fala sobre um tal período. No meu entendimento duas porções ficam em evidência: as parábolas de Mateus 13 e os capítulos 1,2 e 3 de Apocalipse junto com os Salmos 11 e 12. Pela sequência de Mateus 13 vemos que a caracteristica do período que antecede a consumação do século (v.49)é a necessidade de uma busca profunda(fundo do mar e não mais na superfície do campo, v.44). A pérola de grande valor é encontrada distante das águas agitadas da confusão criada pelo joio, pelo crescimento anormal, pelo fermento, e pela compra do tesouro misturada com o campo.Semelhantemente a sequência das igrejas de Apoc. 2 e 3 reserva para o período final de Laodicéia uma caracteristica que, infelizmente, suponho eu, seja grande parte da resposta a sua questão:falta de realidade - estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma. Na verdade, na realidade,o que prevalece e nos é comum hoje é a infelicidade, miséria,pobreza,cegueira e nudez.
Observe os Salmos 11 e 12. O 11 traz uma leitura profética do Velho Testamento, para o cáp. 1 de Apocalipse: 'O Senhor está no Seu santo templo'(v.4)compare com Ap.1:12-16.O restante do versículo nos descreve objetivamente o que o Senhor revelou ser Sua obra em Apoc. 2 e 3 - Seus olhos(Ap.1:14,2:18)...sondam os filhos dos homens...põe a prova o justo e ao ímpio - até chegarmos a importante declaração do Salmo 12:6 - As palavras do Senhor são palavras puras, prata refinada em cadinho de barro, depurada sete vezes. A Palavra do Senhor tem sido depurada nestes sete períodos descritos em Apoc. 2 e 3, e hoje,ao meu ver, tal como em Laodicéia, o grande desafio é vivermos essa Palavra de Deus na Sua realidade e no Seu cumprimento concreto em nosso viver diario. Tudo conspira contra a obra do Espírito Santo de Deus de tornar Sua Palavra viva em nós e por meio de nós. Como bem disse o irmão Abilio, até a unidade do Espírito, uma relidade que não precisamos criar mas manter, se tornou uma jóia rara no meio do povo de Deus. Então, minha resposta seria esta: deixarmos que o Espírito Santo de Deus, em nós e em nossas assembléias, com tudo que isso significa e com todo preço a ser pago, faça com que as Palavras do Senhor, depurada históricamente sete vezes, venha com toda esta riqueza acumulada,ser em nós essa pérola de grande valor. Seja nossa oração e súplica - (porei a salvo a quem por isso suspira -Salmo 12:5)- desejar vender tudo que possuimos e comprá-la.Essa é sem dúvida uma grande responsabilidade de nossa geração.
'Sim, Senhor,Tu nos guardarás; desta geração nos livrarás para sempre'Salmo 12:7
Um grande abraço,
Ricardo M.Campos

james disse...

A Paz do Senhor esteja convosco.

O que a igreja deve fazer nessa presente época?

Antes de responder ao questionamento, vamos meditar e examinar as Sagradas Escrituras, onde nosso amado irmão Paulo, inspirado pelo Espírito Santo do Senhor, nos afirma profeticamente, “SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.” (2timóteo 3.1).
.
Eis os tempos trabalhosos!
.
Por todos os lados que caminhamos vamos nos deparar com os que se dizem “evangélicos”, que o seu melhor significado seria pseudo-cristão, homens, mulheres carregando Bíblias, freqüentando salões, sem saber qual o significado verdadeiro do Sangue de Jesus, nem tampouco tendo interesse em saber qual a real missão de Jesus quando se fez carne.
.
Então há uma outra e semelhante pergunta que devemos ter constantemente em nossos corações, vigiando e orando a todo instante, qual seja: Estou realmente sendo merecedor do amor infinito de Deus? Infelizmente, ou miseravelmente, muitos e milhares amam mais as suas igrejas (denominações, bandeiras, placas) do que ao próprio Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador, "Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento." (Marcos 12.30).
.
Nosso Deus, desde a fundação do mundo, preparou o Reino para possuirmos por herança, para que onde Jesus estiver, também nós estejamos com Ele, para que vejamos a sua glória que o Pai lhe deu; porque Deus O amou antes da fundação do mundo. E, este mesmo Deus nos amou, "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3.16), e nós O temos amado? "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele." (João 14.21).
.
Neste século, neste tempo, podemos contemplar a Palavra de Deus se cumprindo dentro das igrejas protestantes, "E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará." (Mateus 24.12). E, este amor não é para com o próximo, para com o irmão, é sim o amor para com Deus. Milhares e milhares estão lotando galpões, templos, estádios, ginásios, atrás de satisfação pessoal, atrás de uma paz momentânea, participam de "cultos", professam receber amor e paz, mas não conhecem nem a pessoa que está ao seu lado naquele momento de êxtase, um êxtase frenético, mas o amor a Deus... "Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído;" (Isaías 29.13). A Palavra de Deus já nos afirma que este temor "foi instruído", ou seja, é "feito de cor", decorado, não há amor. "E eles vêm a ti, como o povo costumava vir, e se assentam diante de ti, como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza. E eis que tu és para eles como uma canção de amores, de quem tem voz suave, e que bem tange; porque ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra." (Ezequiel 33.31,32).
.
Há show "evangélico" p’ra todo lado, cantoria de tudo quanto é maneira, música gospel e/ou música evangélica, guitarras distorcidas, baterias, danças, barulho e mais barulho, porém não é o louvor que o Senhor requer do homem, estão fazendo ruído e não louvor espiritual, esta "bagunça evangélica" não agrada a Deus, caso contrário o Senhor não afirmaria "Eis que os meus servos exultarão pela alegria de coração, mas vós gritareis pela tristeza de coração; e uivareis pelo quebrantamento de espírito." e outra vez diz "Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias dos teus instrumentos." (Isaías 65.14, Amós 5.23).
.
Onde está o verdadeiro louvor a Deus? Onde está a verdadeira honra de Deus? "O filho honra o pai, e o servo o seu senhor; se eu sou Pai, onde está a minha honra? E, se eu sou Senhor, onde está o meu temor? diz o Senhor dos Exércitos a vós, ó sacerdotes, que desprezais o meu nome. E vós dizeis: Em que nós temos desprezado o teu nome?" (Malaquias 1.6).
.
Jesus chamou esta geração de "incrédula e perversa!", "Porquanto dizeis: Fizemos aliança com a morte, e com o inferno fizemos acordo; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque pusemos a mentira por nosso refúgio, e debaixo da falsidade nos escondemos." (Isaías 28.15), eis aí a falsidade dos louvores, a falsidade dos cultos, a falsidade da santificação ao Senhor, a falsidade espiritual, os falsos pastores, falsas doutrinas da prosperidade, falsas doutrinas da modernidade, rebeldia dos "evangélicos", rebeldia na compostura da vida cotidiana. Há dentro destas pseudo-igrejas, templos profanos, dirigidos por “homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.” 2Timóteo 3.2-7
.
Mas aqueles que "confiam no Senhor", que entregam seus caminhos a Deus, que desejam um dia contemplar a "beleza da santidade do Senhor", ver Salmo 15, busca oferecer a Deus um sacrifício de júbilo, aliás, não me venham com esta conversa de que Jesus disse que não queria sacrifícios, pois o mesmo Senhor e Mestre nos requer que 'apresentemos os nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional, e que não devemos conformar com as coisas deste mundo, mas sejamos transformados pela renovação do nosso entendimento, para que experimentemos qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus', Romanos 12.1,2. Não devemos esquecer que para entrar no Reino do Deus é necessário empregar força (ver Lucas 16.14-17), e esta força é a força de vontade de negar a si mesmo, o sacrifício de negar as paixões do mundo, os vícios da carne, as vaidades, a avareza, a vestimenta sensual, tudo o que fazíamos quando éramos ignorantes na fé.
.
Há que se entender que o Senhor é Soberano, e todo aquele que deseja um dia estar na glória contemplando o Cordeiro de Deus, "E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; E no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro. E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo; E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas. E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece. E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; E o que vive e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno." (Apocalipse 1.12-18), deve-se oferecer por completo a Deus, o Senhor não quer nos dividir com o mundo (ver Mateus 6.24-34), devemos nos oferecer como Jesus se ofereceu a nós, até a morte, devemos morrer para as coisas da carne, morrer para o mundo, e nos entregarmos a Deus por completo, chega desta história de que Deus quer só o coração, Deus requer do homem a tricotomia, "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (1Tessalonicenses 5. 23).
.
Façamos tudo quanto estiver ao nosso alcance, entreguemos nos a Deus, façamos a sua Soberana Vontade, e se assim fizermos, não nos gloriemos pois "Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer." (Lucas 17.10), sabemos que nada somos e de nós mesmos nada poderíamos oferecer ao Senhor, "Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos." (1Crônicas 29.14), ainda, "Porque dEle e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém." (Romanos 11.36).
.
Exultemos no Amor de Deus Pai e "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;" (Efésios 1.4) para que "A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração " (Colossenses 3.16).
.
Roguemos a Deus de todo o nosso coração pelo Seu avivamento a igreja nessa presente época, “Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.” (Habacuque 3.2), e outra vez, “Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me na tua justiça. Muitas são, ó Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos. Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos. Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra. Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua benignidade.” (Salmo 119.40,156-159)
.
Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém.
...
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Billy Pinheiro disse...

Abílio, Ricardo e James:

Desde que postei essa mensagem, houve 550 acessos ao blog mas somente ocorreram três comentários: os que vocês postaram.

Certamente não é simples separar um tempo para escrever algum pensamento nessa vida tão corrida que cada um tem. Entretanto, penso que esse não foi o motivo de tão poucas respostas. Penso que é pela seriedade da pergunta e a dificuldade em se dar uma resposta adequada.

Vejam: como membros do corpo de Cristo precisamos saber o que a igreja deve fazer nesta época. Mas, no entanto, a resposta não parece fácil. Carecemos de plena luz do Espírito Santo! Plena revelação de Deus! Precisamos ter os olhos do nosso coração iluminados e também recebermos espírito de sabedoria e revelação para saber o que Deus tem para o Seu povo hoje.

Creio que esse é um assunto que, como membros do corpo, precisamos ter comunhão e juntos buscarmos a direção de Deus para sabermos o que fazer.

A resposta de vocês representa muito nesse sentido. Agradeço por compartilhar e expor o que pensam a respeito e porque num espírito de comunhão se posicionaram.

Penso que a resposta que o Ricardo Campos nos deu é bastante abrangente e ainda assim específica, incluindo tanto o que nos propõe o Abílio como o James. De fato, nestes dias carecemos de uma realidade com Deus tendo em vista que, além da apostasia manifesta, percebemos tanta superficialidade e artificialidade.

Que o Senhor nos ajude! E como vocês responderam, que busquemos a unidade da igreja, que busquemos realidade com Deus e que clamemos por um avivamento no meio do povo de Deus!

Deixo, um pensamento do irmão Lance Lambert para vocês refletirem. Em seu livro "The Last Days & God's Priorities" (Os Últimos Dias e as Prioridades de Deus) ele diz: "À luz do fato de que estamos na última era da história, quais são as prioridades do Senhor? Primeiro, é a obra do evangelho; segundo, a preparação da noiva; terceiro, é apresentar todo homem perfeito em Cristo; e quarto, é a salvação de Israel. ...Deus moverá céu e terra para cumprir estas prioridades. Seu coração está centrado nestas questões..."

Ricardo e Abílio, espero que o Senhor me dê a oportunidade de em breve revê-los. Jaime, espero no tempo do Senhor poder conhecê-lo.

Um abraço a vocês. Que o Senhor os fortaleça.

Billy

Igreja Única disse...

Billy!
Jesus nos alertou quanto a possibilidade de aquilo que temos como VISÃO (luz), serem trevas(Lucas 11.33-36) e, na minha opnião, é o que está ocorrendo no meio do povo de Deus. Penso que a sua resposta à pergunta : "O que a Igreja deve fazer para presente época?", poderá despertar o cristão para a visão dEle, do Senhor Jesus, ser resgatada a condicão da Igreja como sal desta terra e luz neste mundo.
Geraldo Alexandre

GILBERTO disse...

"Cura Divina da AIDS!"

Nascido em 20/8/1962 e criado na Zona Sul do Rio de Janeiro. Venho de
uma família de classe média toda voltada ao espiritismo. Sou filho de
Marilu Scalzo Legey e Milton Pereira Legey (In Memorium), famoso
compositor das décadas de 50 e 60, autor de várias músicas famosas,
dentre elas: Fósforo Queimado, Rolei Rolei etc. Meu pai era irmão de
Aloysio Legey, diretor de núcleo de vários programas da Rede Globo de
televisão (Criança Esperança, Desfile das Escolas de Samba, Show da
Virada etc.), do qual sou sobrinho e afilhado. Fiz faculdade de
Letras(Port/Ing) e academia de artes maciais (Jiu-Jitsu/faixa-preta).
Aos 18 anos, herdei do meu avô materno uma construtora, Arthur Scalzo
& Cia Ltda. Fiquei rico, tinha poder, mulheres, carros, viagens etc. e
tudo mais que o mundo poderia oferecer de melhor.

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo
consomem, e onde os ladrões minam e roubam" (Mateus 6:19)

Aos 21 anos, me tornei dependente químico e chegei a usar todas as
drogas, tendo tido inclusive 3 overdoses. Com as drogas vieram a perda
de caráter, da personalidade, a prostituição e a falência. Para
tentar não cair de padrão de vida entrei na marginalidade e no mundo
do crime, passando a comprar carros roubados, posteriormente roubando
os própirios carros, emitindo cheques sem fundos, realizando golpes e
participando de falcatruas. Fui preso, julgado e condenado a 23 anos
pelos diversos crimes cometidos. Participei de diversas rebeliões,
motins, greves de fome etc. Cumpri 8 anos em regime fechado em diversos
presídios: Presídio Ary Franco (Água Santa), Instituto Penal Edgard
Costa (Niterói), Presídio Hélio Gomes e Penitenciária Lemos Brito
no extinto Complexo Penitenciário da Frei Caneca/RJ e 4 anos em regime
semi-aberto no Instituto Penal Plácido Sá Carvalho no Complexo
Penitenciário de Gericinó/RJ. Lá deparei-me com o Diretor Paulo
Roberto Rocha, que tinha sido meu aluno de defesa pessoal quando fez
prova para o DESIPE. Ele foi um dos precursores a incentivar o
convênio para usar a mão de obra carcerária para trabalhar nas ruas,
e posteriormente assassinado na Av.Brasil.

Em 1998, conheci a pessoa que me mostraria a palavra de Deus, e que hoje
é a minha amada esposa, a Missionária Verônica Legey, uma Varoa
Valorosa que foi obediente ao Senhor e me ganhou para Jesus indo me
evangelizar no cárcere.

"Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus
ajuntou não o separe o homem." (Mateus 19:6)

Em 2001, como falei, foi feito um convênio entre a Secretaria de
Justiça, a Fundação Santa Cabrini, a Secretaria de Administração
Penitenciária e a CEDAE, pelo então Governador do RJ, Anthony
Garotinho e o diretor da CEDAE/Zona Oeste na ocasião, Alcione Duarte.
Consegui então, um emprego digno onde trabalhei até Dezembro/2006 na
CEDAE.

"Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado
abundou, superabundou a graça" (Romanos 5: 20)

Mas, depois de tantos pecados e orgias, colhi o que plantei. Descobri
que estava com AIDS. Passei 3 anos tomando os coquetéis
anti-retrovirais. Participei de uma campanha feita pelo Pastor Ricardo
Barros de Belo Horizonte/MG, que tem o Ministério da cura...

"Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas
enfermidades" (Salmos 103:3)

Deus continua operando os mesmos milagres de 2000 anos atrás, Deus
curou-me da AIDS. Tenho os exames comprovando a cura. Basta aceitá-lo,
arrepender-se, converter-se dos maus caminhos e ter Fé, pois sem Fé é
impossível agradar a Deus.
Deus ainda me deu o Ministério do dom da Unção da Cura e
Libertação, e para Honra e Glória do Senhor Jesus, temos sido usados
como um canal abençoador de vidas por todos os lugares que passamos
dentro e fora do Estado, para que o nome do Senhor seja Exaltado e
Glorificado.
Hoje trabalho só pra Deus, sou Ministro do Evangelho, consagrado e
ungido como Pastor. Congrego na Assembléia de Deus Pentecostal
Ministério das Últimas Horas - Recreio/RJ - Pastor Presidente:
Sérgio Luiz Ferreira Alves.

"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e
buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu
ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."
(2 Crônicas 7:14)

"Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que
aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é
galardoador dos que o buscam." (Hebreus 11:6)

Este é apenas um resumo das maravilhas que Deus fez na minha vida.
Convites para pregações, testemunho, palestras sobre dependência
química, DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), congressos etc,
entrem em contato comigo:

Pastor Gilberto Legey
Tels.: (21)2406-2255 ou (21)9847-1444
E-mail: gilbertolegey@cooperadoresdedeus.com;
MSN: gilbertoscalzolegey@hotmail.com
Site: www.cooperadoresdedeus.com

Vladi disse...

Bendito Seja Nosso Amado Senhor!!!
Apreciei sua observação querido irmão, quanto ao que devemos fazer; pois nós somos a igreja.
Penso eu amado, que não necessitamos de tantas mensagens como temos visto nas igrejas (aqui incluo todos os filhos de Deus). São milhares de temas, mensagens infindáveis em milhares também de tópicos; parte I, II e por ai vai.
A igreja tem realmente uma vasta e rica fonte de alimento que é sem duvida a Palavra Santa de Deus e o Falar Presente do Espírito Santo. Porém, também temos visto um desejo ardentemente de tantos pregadores de plantão ou de platão desejosos que suas assim chamada mensagens inspiradas sejam lida, publicadas e até levada a conferencias e encontros. No fundo muitos ainda querem sobresair sobre os demais.
Tão simples e singela a vida da Igreja dos primeiros dias. entretanto achamos que não deveria ser tão simples, e ai, a complicamos e interiormente pensamos que um pouco de mensagem pra sofisticar as reuniões são necessárias.
O que fazer irmãos?
Apenas viver a vida de Jesus Cristo tendo-O como o centro de nossas vidas, nosso Tudo.
Abandonemos a maligna religião. Chega de tudo irmãos. Convertamo-nos mesmo amados. Apocalipse 2:4 Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.
5 Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.
É isso irmãos:se contudo não nos arrependermos e voltarmos a prática das primeiras obras..perderemos também a posição(lembre-se castiçal ou candelabro é igual Igreja) se não clareia e ilumina....pra que serviria?
Ah antes que me esqueça...voltar ao primeiro amor significa..melhor amor....pois no inicio tínhamos o melhor amor para com Deus.

PAZ

vladimir-campinas/sp
vladijc@live.com