19/06/2008

Por que lhes falas por parábolas?

Queridos amigos:
Recebi o e-mail abaixo, e compartilho com vocês a minha resposta. Desta forma vocês poderão contribuir complementando o meu entendimento ou mesmo trazendo um outro diferente do meu.
de .......
para esquinadecomunhao@gmail.com
data 17 de junho de 2008 20:49
assunto PARÁBOLAS DO SENHOR JESUS
Irmãos,

Um amigo meu que tem se mostrado interessado pelas coisas do Senhor, me perguntou porque o Senhor Jesus muitas vezes falava através de parábolas. A dúvida dele, e que acho que não respondi bem, é querendo Ele salvar a todos nós, porque não falava mais claramente? Será que vocês podem me ajudar a responder a dúvida dele tomando por base a própria palavra do Senhor, inclusive me explicando também a importância de se falar em muitas ocasiões através do recurso de parábolas no nosso cotidiano?
Obrigado pela ajuda e que o Senhor vos abençoe!
/Assinado/

Querido irmão:

Paz seja sobre a sua vida!

É interessante que esta pergunta que o seu amigo fez, foi em certo sentido a mesma pergunta que os discípulos fizeram ao Senhor. A pergunta deles foi: “ Por que lhes falas por parábolas?” (Mt 13:10)

O meu entendimento (e não podemos ser dogmáticos nisto) é o seguinte:

O Senhor Jesus falava muito diretamente quando o assunto era salvação eterna. Tome por exemplo alguns versos do evangelho de João, das palavras do Senhor Jesus:

3:14 E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,
3:15 para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.
3:16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
3:17 Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
3:18 Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
3:36 Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.
5:24 Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida.
6:47 Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna.
11:25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá;

Entretanto, quando o Senhor estava falando dos mistérios do reino de Deus, ou quando Ele falava a respeito do discipulado, a Sua linguagem não era a mesma. Ele muitas vezes usava de parábolas e figuras. Era uma linguagem que revelava a verdade, mas ao mesmo tempo a ocultava.

Ou seja, os mistérios do reino de céus e os princípios do discipulado eram revelados apenas para aqueles que tinham crido nele, aqueles que eram nascidos de novo. Mas quanto aos que o rejeitavam, e não criam nele, nenhum mistério do reino de céus lhes era revelado.

Então agora veja qual foi a resposta do Senhor aos seus discípulos:

Mateus 13
11 Ao que respondeu: Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido.
12 Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.
13 Por isso, lhes falo por parábolas; porque, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem, nem entendem.
14 De sorte que neles se cumpre a profecia de Isaías: Ouvireis com os ouvidos e de nenhum modo entendereis; vereis com os olhos e de nenhum modo percebereis.
15 Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados.
16 Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos, porque ouvem.
17 Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram; e ouvir o que ouvis e não ouviram.


O que vemos aqui é que por causa do endurecimento dos judeus (representado por suas autoridades) e por causa da rejeição ao Senhor Jesus, como mostrada em Mateus 12, o Senhor começa a falar-lhes em parábolas, como um juízo sobre eles. Mas os mistérios do reino dos céus que eram ocultos aos judeus, eram revelados aos discípulos através das parábolas.

O sentido disso é o que Paulo disse aos irmãos em Corínto, que “o homem natural (aquele que não nasceu de novo) não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. (1 Cor 2:14). Ele também disse que “a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus” (1 Cor 1:18)

Como crentes em Jesus Cristo, temos o privilégio de conhecer os mistérios do reino dos céus. E isso nos é dado por revelação de Deus, no sentido de que não vem de carne e sangue, não é algo do homem, mas somente de Deus. Por isso Paulo ora em relação aos irmãos em Éfeso, “para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração...” (Ef 1:17-18).

O que eu quero dizer com isso é que conhecer os mistérios do reino é um privilégio nosso, mas que também não é algo automático. Precisamos buscar ao Senhor por revelação, por entendimento espiritual. E agrada ao Senhor revelar essas coisas aos que o buscam. É um direito nosso conhecer aquilo que está no coração de Deus. Os seus mistérios estão ocultos para aqueles que não O receberam, mas estão à disposição daqueles que O buscam.

Assim que o Senhor falou a parábola do semeador os seus discípulos inicialmente não a entenderam, mas porque perguntaram ao Senhor Ele teve prazer em lhes explicar. Assim também podemos fazer. Podemos orar: “Senhor abra o meu entendimento para conhecer os teus mistérios. Dá-me entendimento para conhecer o que está no teu coração”!

Quanto “à importância de se falar em muitas ocasiões através do recurso de parábolas no nosso cotidiano”, creio que o mais sábio é buscar a direção do Espírito Santo para que Ele use o nosso falar de modo desimpedido e com graça. O recurso da parábola é muito poderoso para se fazer entender e comunicar a verdade. As figuras de linguagem podem avivar as verdades que se quer comunicar. Mas devemos usá-las sem abusar, sem exageros, apenas como ilustração ou para enfatizar uma verdade. Alguns parecem que tem o dom natural para fazer bem isso. Outros, como eu, só podem admirar quem consegue fazer assim. Se você tem essa facilidade e o faz com graça, se esmere e continue.

Bem, era isso meu querido irmão. Este é o meu entendimento.

Vou postar esta resposta no blog e quem sabe outros irmãos possam contribuir também acrescentando ou mesmo com um ponto de vista diferente. Assim você poderá ter outras contribuições em resposta a essa sua dúvida.

Espero ter ajudado.

Um abraço.

NAquele que nos deu o Espírito Santo que nos guia a toda a verdade,

Billy Pinheiro

Comente com o Facebook:

2 comentários:

Alex Marcondes disse...

Ola irmãos

Eu penso que através de parábolas muitos servos do Senhor foram despertados ao arrependimento e a uma vida mais próxima com Deus.

Como o profeta Natã que repreendeu a Davi quando ele cometeu adultério e homicídio. 2 Samuel cap. 12

Hoje também o espírito de Deus pode nos levar a falar através de parábolas a fim de edificarmos uns aos outros.

Que o Senhor Jesus te abençoe e continue de dando graças no compartilhar a palavra.


Um abraço.

Alex.

Altair luiz de vargas disse...

vejo que, quando Jesus falava através de parábola; éra para, instruir os seus seguidores; que ouvindo não entendia se não por ilustração, parabolas. Porem para seus diciplos, apostolos que eram seus afieis seguidores; dava a entenderem dos mistérios da ciencia Divina, dos segredos Divino; porque éram apostolos já tinham um grau de evolução espiritual; grau este de apostolos dado pelo proprio Jesus.