10/10/2007

Batalha Espiritual

Quando falamos em batalha espiritual, imediatamente na mente da cristandade atual surge logo idéias, como “mapeamento espiritual”, “amarrar o valente”, “quebra de maldições” e outras tanto. Ainda que essas expressões possam carregar algum sentido prático e real do mundo espiritual, temos presenciado muito desequilíbrio e muitos enganos das trevas no meio do povo de Deus quando o assunto é batalha espiritual. E, infelizmente, o nosso inimigo tem tirado proveito dessa situação, mantendo em derrota muitos dos filhos de Deus.

De um modo geral, quando se fala em batalha espiritual no meio do povo de Deus, pensa-se apenas num dos aspectos da batalha, ou melhor dizendo, em um dos nossos inimigos, o diabo. Mas bem sabemos que na verdade são três os nossos inimigos: o mundo a carne e o diabo. E todos eles igualmente devem estar subjugados em nossa vida pela obra do Senhor Jesus na cruz do calvário. Ela é base da nossa vitória!

A nossa posição, como nos apontam as Escrituras, é de vitória, uma vez que Deus nos “...fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus” (Ef 2:6). Oh, meus queridos, tudo está nEle! Tudo que temos do Pai, nos foi doado em Cristo Jesus. Aleluia!

Nos próximos dias, o Senhor permitindo e pela Sua graça, estarei postando uma série de reflexões sobre a nossa batalha espiritual, num vislumbre do livro de Juízes, especificamente, através evento ocorrido com Débora e Baraque (Juizes 4 e 5). E ao meditarmos nessa porção da Palavra de Deus do Antigo Testamento, cremos que aquilo que ficou registrado em Romanos 15:4, será uma realidade para nós: "Pois tudo quanto outrora foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência, e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança".

Quero enfatizar a expressão: “Tenhamos esperança”! É isso que desejo para você à medida que formos meditando nessa porção das Escrituras. Que a viva esperança seja renovada em seu coração. Esperança de um andar vitorioso nessa batalha espiritual. Vitória sobre o mundo, a carne e o diabo.

Quando leio o livro de Juízes, o meu coração se enche de esperança quanto a mim mesmo diante do Senhor, porque é um livro que nos mostra que apesar da fraqueza do povo de Deus e dos vários cativeiros, também nos aponta o caminho maravilhoso da libertação. É um livro que nos apresenta grandes fracassos do povo de Deus, mas também a grande misericórdia do Senhor.

Muitas vezes nos vemos como o povo de Israel, totalmente cativo por algum inimigo, sem forças em nós mesmos para nos libertamos, mas clamamos ao Senhor e dEle vem o socorro. Há muitos inimigos na nossa vida e há uma batalha de fato a ser travada. Paulo, disse: “combati o bom combate...” (2 Tim 4:7). Mas lembre-se: “..somos mais que vencedores, por meio dAquele que nos amou”! (Rm 8:37).

Vemos no livro de Juízes, repetidas vezes, em relação ao povo de Deus, a seguinte seqüência de fatos: queda espiritual; disciplina de Deus; cativeiro sob o jugo do opressor; arrependimento do povo; clamor ao Senhor; e Deus enviando o livramento. Não seria isso algumas vezes a experiência de muitos de nós? Quantas vezes alguns de nós, caímos e nos arrependemos para logo em seguida fracassar de novo? Ou, quem sabe, depois de vencer algum inimigo espiritual em nossa vida, mais tarde percebemos esse mesmo inimigo vir sobre nós com mais força ainda?

Mas, anime-se no Senhor! Aquele que começou a boa obra em nós é fiel para completá-la. Não sabemos quanto tempo vai levar, mas o Senhor vai completá-la. Não sabemos quantos fracassos tenhamos que experimentar, mas um dia, finalmente, essa obra estará completa e seremos aqueles que agradarão o coração do Pai, porque Ele verá em nós a imagem do Seu Filho. Isso é algo muito maravilhoso!

Vamos então aos capítulos 4 e 5 de Juízes:

No capítulo 4 temos a situação daqueles que foram convocados para batalha, a descrição de como foi essa batalha, como ela sucedeu, e como foi que o povo do Senhor obteve a vitória.

No capítulo 5, temos o cântico de Débora. É um cântico profético, e nele vai ser mostrado como cada um se comportou durante o tempo da batalha. Qual foi a atitude de cada um durante aquele tempo em que a batalha estava sendo travada. Algumas pessoas foram lembradas com louvor e, infelizmente, outras lembradas negativamente. E até mesmo alguns, os moradores de Meroz, foram lembrados e amaldiçoados pela atitude que tiveram durante o período de batalha. Nesse cântico profético de Débora, vemos uma figura muito clara do que vai acontecer naquele dia, quando todos nós compareceremos diante do Senhor.

Oh, quão sério e instrutivo é isso para nós! Um dia nós estaremos diante do nosso Senhor, face a face com Ele, diante do Seu tribunal, diante da Sua cadeira de julgamento, e nesse dia também será dito aquilo que nós fizemos durante esse tempo de batalha aqui, durante a nossa peregrinação, qual foi o nosso proceder nesse tempo presente. Nesse dia receberemos o louvor ou a reprovação do Senhor (Veja 2 Cor 5:10 e Mt 25:21, 26).

Convido você, então, a meditar comigo nos capítulos 4 e 5 de Juízes buscando extrair alguns princípios espirituais, aplicando-os em nossa vida em relação à batalha espiritual a qual devemos travar.

“Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo...” (2 Cor 2:14)

NEle, em quem temos a vitória,

BP
===================
Abaixo seguem os links para as demais postagens dessa série:

Comente com o Facebook:

3 comentários:

Eliseo disse...

Agradezco al Señor por esta Esquina de Comunión, por la iniciativa de nuestro amado Billy, por el valioso material que estamos disfrutando para nuestra edificación. Seguiremos atentos a la serie sobre Batalla Espiritual, con la esperanza de ser enriquecidos en Cristo.
Un abrazo,

Eliseo
Chile

roberto disse...

Hoy estaba leyendo sobre guerra espiritual, estamos compartiendo esta palabra en la iglesia de La Cisterna; ha sido muy grato y edificante, leer el tema del hermano Billy.
Un abrazo mis hermanos
Roberto

Anônimo disse...

Agradeciendo el que podamos ser edificados,con la palabra y la exhortación mutua. Gloria a nuestro Señor Jesucristo.
Un abrazo,

Sandro
Chile